Lava Jato: 68ª fase mira gigantes do setor petrolífero e faz buscas na Suíça

Angelo Sfair

lava jato, operação lava jato, trafigura, vitol, operação internacional, petróleo, compra e venda, trading, setor petrolífero, petrobras, força-tarefa, paraná, mpf, ministério público federal, cooperação internacional, suíça, genebra


A nova etapa da Operação Lava Jato cumpriu ordens de busca e apreensão em Genebra, na Suíça. Os alvos são duas gigantes do mercado das commodities de petróleo e derivados: Vitol e Trafigura. A 68ª fase foi realizada nesta quarta-feira (20), e divulgada apenas hoje (21) pela força-tarefa do Paraná.

Conforme o MPF (Ministério Público Federal), a 68ª fase da Operação Lava Jato partiu de um pedido de cooperação internacional feito pela força-tarefa do Paraná às autoridades da Suíça.

De acordo com as investigações, Vitol e Trafigura realizam transações bilionárias com a Petrobras. As operações de compra e venda de petróleo entre a Vitol e a estatal brasileira, entre 2004 e 2015 supera os US$ 14 bilhões. No mesmo período, a Trafigura movimentou US$ 9 bilhões.

Provas documentais, dados provenientes de quebras de sigilos e informações obtidas por meio de acordos de delação premiada indicam que integrantes das cúpulas das duas gigantes do setor petrolífero mundial também pagaram propinas a funcionários da Petrobras.

O esquema é semelhante àqueles investigados em fases anteriores da Operação Lava Jato: diretores e funcionárias do alto escalão da Petrobras recebiam a propina para fraudar licitações. Entre as possíveis vantagens estão o direcionamento de editais, superfaturamentos e aditivos contratuais indevidos.

A 68ª fase da Operação Lava Jato também apura a participação da Vitol e da Trafigura em outros crimes financeiros relacionados a operações de trading (compra e venda). As gigantes atuavam no mercado interanacional em negociações que envolviam óleos combustíveis, gasóleo de vácuo (produto intermediário), bunker (combustível de navio), petróleo cru e asfalto.

De acordo com o procurador da República Athayde Ribeiro da Costa, a Operação Lava Jato já havia destrinchado crimes relacionados à construção de refinarias. No entanto, agora operação alcança esquemas milionários de corrupção em negócios relativos à área-fim da Petrobras.

“As investigações indicam que esquemas compreendida atividades das mais rotineiras, como a comercialização de petróleo e derivados. A coleta de evidências pode ajudar a responsabilizar integrantes da cúpula da Trafigura e da Vitol, intermediários e funcionários públicos lotados em diferentes gerências da área de comercialização da Petrobras”, explicou o membro da força-tarefa Lava Jato no Paraná.

Conforme o MPF, essa é a terceira fase internacional da Operação Lava Jato. A 68ª fase é um desdobramento das etapas 44 (Abate) e 57 (Sem Limites).

Previous ArticleNext Article