Política
Compartilhar

Justiça converte em preventiva prisão de ex-executivo da Odebrecht

O juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, converteu em preventiva (por tempo indeterminado) a prisão d..

Francielly Azevedo - 26 de agosto de 2019, 07:55

SÃO PAULO, SP, 21.08.2019 - O executivo Maurício Ferro, ex-diretor jurídico da Odebrecht, é levado pela Polícia Federal, que deflagrou a 63ª fase da Operação Lava Jato. PF cumpre dois mandados de prisão temporária e 11 de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia. (Foto: Marcelo Gonçalves/Sigmapress/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 21.08.2019 - O executivo Maurício Ferro, ex-diretor jurídico da Odebrecht, é levado pela Polícia Federal, que deflagrou a 63ª fase da Operação Lava Jato. PF cumpre dois mandados de prisão temporária e 11 de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia. (Foto: Marcelo Gonçalves/Sigmapress/Folhapress)

O juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, converteu em preventiva (por tempo indeterminado) a prisão do ex-executivo da Odebrecht, Maurício Ferro, detido na 63ª fase da Operação Lava Jato. O despacho é do último sábado (24) de acordo com o Portal G1 Paraná.

A conversão da prisão foi solicitada pelo Ministério Público Federal (MPF). O ex-executivo foi preso em São Paulo na última quarta-feira (21) e encaminhado para Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Durante as buscas, a Polícia Federal encontrou na casa de Ferro quatro chaves de criptografia, que podem dar acesso a pastas do sistema de propina da Odebrecht. O conteúdo ainda é desconhecido.

Além de Maurício Ferro, também são réus no processo o ex-presidente da Braskem, Bernardo Gradin, e o ex-ministro Guido Mantega.

Diante disso, o juiz acatou o pedido. "Esse Juízo não tem controle - e nem pretende ter - sobre o que é ou o que deixa de ser veiculado pela mídia. Viável, contudo, elevar o sigilo das informações espontâneas transmitidas pela Suíça, para nível 1, já que há ali referência a operações financeiras realizadas por meio de outras contas bancárias vinculadas ao acusado e a terceiro", decidiu.

Bonat também agendou para o dia 21 de outubro novas oitivas do empresário Marcelo Odebrecht  e dos marqueteiros Mônica Moura e João Santana.

A reportagem tenta contato com a defesa de Maurício Ferro.