Lula está livre após 580 dias preso em Curitiba; multidão aguarda a saída da PF

Vinicius Cordeiro e Angelo Sfair

lula livre curitiba

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está livre. O alvará de soltura foi expedido pelo juiz Danilo Pereira Junior,  titular da 12ª Vara Federal de Curitiba, foi enviado às 16h15 desta sexta-feira (8) e o petista pode sair do prédio da Polícia Federal a qualquer momento. Cerca de três mil pessoas estão no local e aguardam pela saída do petista. Segundo a apuração da reportagem, o ato deve acontecer em menos de uma hora.

Danilo foi o responsável já que a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena de Lula, está de férias até o dia 22 deste mês.

O pedido da defesa do ex-presidente estava nas mãos do juiz desde às 12h50. O advogado Cristiano Zanin, protocolou o pedido de liberdade por volta das 11h30, após se reunir com Lula.

Neste momento, Zanin está com Lula. De acordo com o que apurou a reportagem, os dois estão com a mala pronta para sair da PF. Do lado de fora, as pessoas gritam cantos de apoio, como “ole ole olá, Lula Lula”.

Publicado por Paraná Portal em Sexta-feira, 8 de novembro de 2019

FESTA DOS PETISTAS

A expectativa é que Lula se reúna com os integrantes da Vigília Lula Livre. A reportagem apurou que o presidente quer agradecer todos que aderiram o movimento nesses 19 meses.

Depois, é possível que Lula faça um discurso para seus apoiadores. A partir daí, existe a possibilidade que ele vá para São Paulo se encontrar com sua família.

Os apoiadores do ex-presidente fizeram um corredor humano para esperar sua saída. Todos usam camisetas vermelhas – a maioria com o rosto de Lula estampado. Entre as pessoas ansiosas pela sua saída, está Rosângela da Silva. A socióloga e funcionária da Itaipu é a namorada de Lula.

Multidão está no aguardo de Lula. (Angelo Sfair/Paraná Portal)

LULA: PRESO HÁ 580 DIAS

Lula em entrevista na prisão. (Marlene Bergamo / Folhapress)

O ex-presidente foi preso no dia 7 de abril de 2018 e cumpriu pena na Superintendência da PF (Polícia Federal) em Curitiba. Ele foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá (SP).

A primeira condenação foi feita pelo ex-juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, e a pena fixada foi de 9 anos e 6 meses de prisão. Depois, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a punição para 12 anos e 10 meses. Por fim, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) fixou a pena em 8 anos e 10 meses.

No caso triplex, o ex-presidente foi acusado pela Operação Lava Jato de receber propina da OAS por meio da construção e reforma de um apartamento no Edifício Solaris, no Guarujá. Ao todo, a suposta vantagem chegava a R$ 2,2 milhões e teria saído de uma das contas de propina destinada ao PT. Em contrapartida, Lula teria agido para favorecer a OAS em contratos com a Petrobras.

Além disso, o petista responde outras sete ações. Ele já foi condenado, em primeira instância, no caso do sítio de Atibaia, que tratava sobre propinas pagas por meio de reformas de melhoria.

DECISÃO DO STF

Por 6 votos a 5, o STF decidiu, nesta quinta-feira (7), contra a execução provisória de pena de prisão após condenação em segunda instância. O novo entendimento afeta quase cinco mil presos, de acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça.

Lula foi um dos beneficiados.

Segundo um levantamento do MPF (Ministério Público Federal), a mudança de entendimento do STF contempla 38 condenados em segunda instância no âmbito da Operação Lava Jato. O ex-ministro José Dirceu e ex-executivos de empreiteiras são alguns deles.

Previous ArticleNext Article