Lula recebe título de cidadão honorário de Paris com discurso crítico a Bolsonaro e Moro

Redação

lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o título de cidadão honorário de Paris nesta segunda-feira (2). A homenagem contou com a participação de outros líderes do PT (Partido dos Trabalhadores), como Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, e Dilma Roussef, ex-presidente. Além deles, também estavam presentes a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e Rosângela da Silva, atual namorada.

“Quando fui informado desse prêmio eu ainda estava preso e fiquei muito feliz. O que me deixou mais impressionado é que os carcereiros que cuidavam de mim também ficaram”, revelou o ex-presidente. 

Veja o momento que Lula recebe o título das mãos de Anne Hidalgo:

DISCURSO COM CRÍTICAS A BOLSONARO E MORO

Durante o evento, Lula discursou por cerca de 35 minutos e fez diversas críticas ao atual governo brasileiro. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, foram chamados de “fascista” e “criminoso”, respectivamente.

“Quando digo pra vocês que tenho energia de 30, digo porque nunca estive mais motivado do que estou agora a brigar pela democracia no nosso país”, declarou Lula.

Além disso, apesar de não citar diretamente o ministro Paulo Guedes, disse que o cenário atual do país é “estimulado pela ganância de poucos e desprezo mesquinho pelos direitos do povo”.

Lula também criticou a Rede Globo e a imprensa. O ex-presidente reforçou a ausência de Bolsonaro durante os debates eleitorais.

“Dono de um histórico de ataques à democracia e aos direitos humanos, foi poupado pelas grandes redes de televisão de enfrentar em debates o companheiro Haddad. Essa mídia, portanto, é corresponsável pela ascensão de um presidente fascista ao governo do Brasil”, disparou Lula.

LULA NA FRANÇA

Antes de receber o título de cidadão honorário, Lula almoçou em Paris com Haddad, Dilma e François Hollande, presidente da França entre 2012 e 2017.

“Conversamos muito sobre a conjuntura no Brasil e na França e as tarefas que precisamos cumprir para retomar os governos de inclusão e com mais justiça social”, publico Lula sobre seu encontro.

Já neste domingo (1), Lula esteve com o deputado Eric Coquerel e Jean-Luc Mélenchon, líder do grupo França Insubmissa que visitou o petista em Curitiba.

Por fim, vale lembrar que o ex-presidente esteve na Itália em fevereiro. Ele teve um encontro, de cerca de uma hora, com o Papa Francisco para conversar “sobre um mundo mais justo e fraterno”. Vale lembrar que o Papa respondeu uma carta escrita pelo petista enquanto estava na prisão. No texto, o líder católico pediu que Lula se “encorajasse para não desanimar e continuar confiando em Deus”.

Previous ArticleNext Article