Política
Compartilhar

Lula chega a Curitiba; manifestantes são isolados pela PM. Equipe de Tv precisa de escolta

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou em Curitiba pouco depois das 22hs no aeroporto Afonso Pena, em São..

Jordana Martinez - 07 de abril de 2018, 21:27

Foto: Willian Bittar/ CBNCuritiba
Foto: Willian Bittar/ CBNCuritiba

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou em Curitiba pouco depois das 22hs no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, e é levado para a PF de helicóptero.

Na sede da PF, os manifestantes foram separados por cordão de isolamento da PM. Os manifestantes contrários a Lula estão ao lado direito e os simpatizantes ao lado esquerdo. Neste local, aos jornalistas são hostilizados pelos manifestantes. Uma equipe da Band Curitiba chegou a ficar presa por cerca de meia hora, impedida pelos manifestantes de se movimentar. Só saiu com a escolta da PM. A imprensa permanece em um  ponto intermediário para acompanhar o desembarque. Acompanhe o vídeo (imagens de Willian Bittar/ CBNCuritiba)

Após se entregar na noite deste sábado (7), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou a Superintendência da PF, em SP, para fazer exame de corpo de delito. Após realizar o exame, Lula seguiu de helicóptero em direção ao aeroporto de Congonhas rumo a Curitiba.

Manifestantes a favor e contra Lula se reuniram em frente a sede da PF. Alguns entraram em confronto. A maioria dos manifestantes anti-Lula soltaram rojões, buzinam e alternam o Hino Nacional ao grito de guerra “Lula ladrão, seu lugar é na prisão”.

PRISÃO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi preso neste sábado (7) por volta de 18h40, em São Bernardo do Campo (SP), na grande São Paulo.

Ele entregou-se à Polícia Federal após a segunda tentativa de saída do sindicato. Na primeira vez, foi impedido pela militância que chegou a quebrar o portão para impedi-lo.

Durante o ato ecumênico realizado pela manhã no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em 2017, Lula anunciou que se entregaria.

No evento, que se tornou um ato político, o ex-presidente disse que iria se entregar para “enfrentar” a Lava Jato.

O juiz federal Sergio Moro determinou que Lula deveria ter se apresentado à Polícia Federal em Curitiba até as 17h da última sexta (6), mas o prazo foi ignorado pelo petista. Desde quinta (5), quando Moro decretou sua prisão, o ex-presidente ficou alojado no sindicato, em São Bernardo, cercado por militantes e políticos de esquerda.

A defesa do petista negociava na sexta as condições para que ele se entregasse. A PF descartou enviar agentes ao sindicado para evitar conflitos.

Lula foi condenado por Moro, em julho de 2017, a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Em janeiro deste ano, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a pena para 12 anos e um mês de detenção.Na ação apresentada pelo Ministério Público Federal, Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões de propina da empreiteira OAS em decorrência de contratos da empresa com a Petrobras.

O valor, apontou a acusação, referia-se à cessão pela OAS de apartamento tríplex ao ex-presidente, a reformas feitas pela construtora nesse imóvel e ao transporte e armazenamento de seu acervo presidencial. Moro, porém, absolveu o ex-presidente na acusação sobre o acervo.