Política
Compartilhar

Manuela D'Ávila diz que não será candidata nas eleições deste ano

Ex-deputada do Rio Grande do Sul era cotada para disputar o Senado em outubro. No entanto, afirmou nunca ter entrado na disputa.

Johan Gaissler - 28 de maio de 2022, 09:12

(Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)

Manuela D'Ávila (PCdoB) disse na manhã deste sábado (28) que não será candidata nas eleições deste ano. A ex-deputada do Rio Grande do Sul era cotada para disputar o Senado em outubro. No entanto, afirmou nunca ter entrado na disputa.

O anúncio foi publicado nas redes sociais. Manuela lembrou que foi candidata nas últimas duas eleições majoritárias, como candidata à vice-presidência na chapa de Fernando Haddad (PT), em 2018; e como candidata à Prefeitura de Porto Alegre, em 2020. Nas duas ocasiões, foi derrotada no segundo turno.

Segundo a ex-deputada, "os processos foram duros para ela e para a família" dela, fazendo referência à exposições, ameaças e publicações de notícias falsas.

"Há dois anos tenho dito que não tenho pretensão de concorrer a nenhum cargo eletivo em 2022. Não desisti de nenhuma disputa, portanto, pelo simples fato de que nunca afirmei que estaria nela", publicou Manuela no Twitter.

MANUELA QUERIA UNIÃO PARTIDÁRIA NO RIO GRANDE DO SUL

Manuela D'Ávila queria uma união partidária das siglas que apoiam Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Mesmo não se colocando na disputa, trabalhou por um nome único para disputar o Governo do Rio Grande do Sul.

Segundo ela, o objetivo não foi concretizado: "Trabalhei muito por um palanque unitário que nos envolvesse todos, sobretudo os três candidatos ao governo do estado, fortalecendo nossa chapa".

Ela faz referência aos pré-candidatos Edegar Pretto (PT), Beto Albuquerque (PSB) e Pedro Ruas (PSOL). Uma união dos três poderia, atualmente, fazer encostar na liderança dessa corrida eleitoral.

O ex-ministro bolsonarista Onyx Lorenzoni (PL) lidera atualmente a disputa ao Palácio Piratini. No Senado, para onde Manuela era cotada a ser candidata, ela estava empatada com o atual vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Republicanos).