“Me censuraram como na época de ditadura”, diz Lula em carta

Andreza Rossini e Francielly Azevedo - CBN Curitiba


Após oficializar a candidatura do ex-ministro Fernando Haddad à presidência da República pelo PT, o ex-presidente Lula – que era o candidato do partido – afirmou que foi censurado pelo sistema judiciário.

Lula considerou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de barrar a candidatura devido a Lei Ficha Limpa de “uma farsa judicial”.

“O judiciário brasileiro privou o país de um processo eleitoral livre”. “Me censuram como na época da ditadura”, argumentou Lula na carta lida por Luiz Eduardo, um dos fundadores do PT e ex-advogado de Lula.

Para apoiar a candidatura de Haddad, que era vice de Lula, o ex-presidente afirmou “de hoje em frente, Fernando Haddad será Lula”.”Eu estarei junto com Haddad para fazer o governo do povo e da esperança”, disse.

O petista também disse que, mesmo preso, os ideais do partido continuam. “Um homem pode ser injustamente preso, mas suas ideias não”, disse se referindo ao novo candidato.

Candidatura de Lula 

O TSE barrou a candidatura de Lula devido a condenação de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem, definida pelo Tribunal Regional Federal (TRF4). A decisão é do processo relacionado ao Triplex do Guarujá, no âmbito da Operação Lava Jato.

Os advogados de Lula recorrem ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja aceita a recomendação do Comitê de Direitos Humanos da ONU para que Lula tenha os direitos políticos mantidos.

A defesa também havia pedido a liberação da definição final da candidatura até o dia 17, que foi negado pela ministra Rosa Weber do STF.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="552787" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]