Weintraub diz que “fetiche da esquerda” é vê-lo preso, torturado e com suéter vermelho

Vinicius Cordeiro

weintraub ministro da educação instrumento de tortura

Abraham Weintraub, ministro da Educação, publicou uma foto em que aparece com sua cabeça em uma berlinda, um instrumento de tortura similar a uma guilhotina. O post, feito para ironizar seus críticos, foi feito em sua conta no Twitter, no início da tarde desta quinta-feira (19).

“Fetiche da esquerda neste Natal: ver Weintraub preso, torturado e obrigado a usar um suéter vermelho como humilhação. Será que estou na Venezuela ou em Cuba?”, postou o ministro.

A berlinda foi uma forma de tortura na Europa e trazida para o Brasil, sendo bastante utilizada aos escravos. Além da vítima ser presa braços e pescoço, ela também era alvo de agressões físicas. Em muitos casos da Idade Média, a punição era feita em pessoas com ‘condutas imorais’, como ladrões.

MINISTRO CONTURBOU SESSÃO NA CÂMARA

Na semana passada, Abraham Weintraub esteve em uma audiência na Comissão de Educação, da Câmara dos Deputados. O objetivo era explicar os ataques feitos às universidades federais. Em uma entrevista, por exemplo, o ministro disse que as instituições têm “plantações extensivas de maconha”.

Durante a sessão, Weintraub manteve o discurso e gerou diversas discussões com os parlamentares.

“Pode ensinar o que quiser, falar de Karl Marx, não tem problema. Agora, a Polícia Militar tem que entrar nos campi”, disse o ministro.

Idilvan Alencar (PDT), deputado federal pelo Ceará, foi um dos que retrucaram o ministro. Para ele, Weintraub deveria “aproveitar o Natal e pegar o beco”, ditado nordestino que significa ir embora.

“Acho que você tem que usar de bom senso, humildade e auto-crítica. Você foi nomeado e criou um Twitter somente para disseminar ódio. O senhor não tem condição técnica e política para estar nessa função”, opinou o parlamentar.

Previous ArticleNext Article