Moro diz que ficou constrangido por ser padrinho do casamento de Zambelli

Redação

moro zambelli

O ex-ministro Sergio Moro disse que foi o padrinho de casamento da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) com o coronel Aginaldo de Oliveira, diretor da Força Nacional de Segurança, mesmo sem ter um relacionamento próximo com ela. Em entrevista à Rádio Gaúcha, ele falou que o convite causou certo constrangimento de sua parte.

“Pouco conheço a Zambelli, na verdade a questão é que foi aquele tipo de convite que você fica constrangido, ‘ah, vamos lá prestigiar’. Mas eu nunca tive um relacionamento pessoal com a deputada”, disse Moro.

Moro e sua mulher, Rosângela Moro, foram padrinhos do casamento assim como o ministro Abraham Weintraub e Daniela Weintraub.

Contudo, a relação entre Moro e Zambelli foi rompida após uma conversa entre ambos ter sido divulgada no Jornal Nacional. No final de abril, a troca de mensagens mostrou que a deputada tentou evitar o pedido de demissão do ex-ministro dizendo que iria conversar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para garantir a indicação de Moro ao STF (Supremo Tribunal Federal). Na ocasião, Moro respondeu: “prazada, não estou à venda”.

MORO DIZ QUE NÃO SAIU DO GOVERNO PARA CRIAR OPOSIÇÃO

Na entrevista, Moro ainda disse que não tem o objetivo de ser oposição ao governo federal e que ficou surpreso com o inquérito aberto para apurar sua acusação que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir politicamente na PF (Polícia Federal).

“Eu não saí do governo para construir uma oposição. Eu saí, declinei meus motivos e o objetivo nem foi prejudicar o governo. Até fiquei surpreso com a abertura do inquérito. O objetivo foi expor o porquê eu estava saindo e era proteger as pessoas, a Polícia Federal”, avaliou.

Sobre a saída da Operação Lava Jato para assumir o comando do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Moro disse que tentou aproveitar a oportunidade.

“Foi uma decisão de certo risco, mas com a melhor das intenções. Quando se pensa num contexto geral, o combate à corrupção avançou no país? Há controvérsia, houve derrotas. O ministério praticamente trabalhou sozinho”, completou.

Ouça a entrevista completa de Moro à Rádio Gaúcha:

Previous ArticleNext Article