Moro determina cobrança de caução, no valor de R$ 1 mil, para visita ao triplex do Guarujá

Jordana Martinez


Depois das declarações do leiloeiro Afonso Marangoni de que “a procura pela visitação do triplex do Guarujá “tem sido intensa”, o juiz Sérgio Moro determinou a cobrança de  caução, no valor de R$ 1 mil, para visita ao imóvel. O próprio leiloeiro teria sugerido a instituição de caução no valor de R$ 2,2 mil para a visitação.

Moro determinou ainda que o dinheiro seja devolvido após o fim da visita. Na decisão, Sérgio Moro afirma que ‘apesar da curiosidade que o imóvel deve suscitar, é necessário limitar as visitas aqueles com real interesse na aquisição do imóvel’.

O leilão do tríplex, que seria do ex-presidente Lula, está marcado para o dia 15 de maio. O apartamento foi avaliado pela Justiça em R$ 2,2 milhões no último mês. Esse também é o lance inicial. Se neste primeiro leilão não houver interessados na compra do bem, uma segunda data está marcada para uma semana depois, no dia 22 de maio, com o imóvel sendo colocado em leilão pelo lance mínimo de 80% de seu valor. Com o desconto, o lance inicial será de R$ 1.760.000,00.

“É um leilão que desperta muito interesse. Inclusive, já era um leilão que para os condôminos tinha o problema do pessoal que ia tirar fotos. Temos que tomar cuidado para não constranger as pessoas que moram no edifício”, conta o leiloeiro responsável Afonso Marangoni.

Os interessados já podem solicitar o agendamento das visitas no e-mail marangonileiloes@marangonileiloes.com.br<

Pagamento

O vencedor terá 72 horas para fazer o pagamento. De acordo com o Código Civil e o Código de Processo Civil será respeitado o direito de preferência a condôminos, coproprietários ou cônjuges.

Triplex 

Lula foi condenado na ação penal que envolve o imóvel por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em primeira e segunda instância. O leilão do tríplex foi determinado pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato em primeira instância, em 29 de janeiro – cinco dias depois da condenação de Lula a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que negou o recurso do ex-presidente e ainda ampliou a pena.

O magistrado determinou que o valor arrecadado com o leilão do tríplex, seja depositado em juízo e, com o trânsito em julgado da ação penal contra Lula, seu valor repassado à Petrobras – em caso de confirmação da sentença – ou a seu proprietário de fato – seja OAS ou Lula – em caso de revisão da decisão.

 

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.