Política
Compartilhar

Moro fala que não debate com condenados após provocação de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu um debate entre ele, o ex-ministro Sergio Moro e o coordenador da Lava..

Redação - 11 de junho de 2020, 17:08

PR - PALESTRA/SERGIO MORO - POLITICA -  O juiz federal Sérgio Moro, indicado como Ministro da Justiça do Presidente Jair Bolsonaro em palestra de abertura da Conferência Smart Energy e GreenBuilding Brasil, que reúne a 5ª Smart Energy CIEI &#038 EXPO e  a 9º Greenbuilding Brasil Conferência Internacional &#038 Expo e o Fórum de Eficiência Energética da Ashrae. A palestra tem o tema “O Brasil que queremos”, no auditório da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná)  em Curitiba (PR), nesta segunda-feira (05).Foto: Geraldo Bubniak/AGB
PR - PALESTRA/SERGIO MORO - POLITICA - O juiz federal Sérgio Moro, indicado como Ministro da Justiça do Presidente Jair Bolsonaro em palestra de abertura da Conferência Smart Energy e GreenBuilding Brasil, que reúne a 5ª Smart Energy CIEI &#038 EXPO e a 9º Greenbuilding Brasil Conferência Internacional &#038 Expo e o Fórum de Eficiência Energética da Ashrae. A palestra tem o tema “O Brasil que queremos”, no auditório da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) em Curitiba (PR), nesta segunda-feira (05).Foto: Geraldo Bubniak/AGB

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu um debate entre ele, o ex-ministro Sergio Moro e o coordenador da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol. Contudo, em menos de uma hora, o ex-ministro já expôs sua negativa para a possibilidade disso acontecer.

"Vou atualizar meu twitter de 09/11/2019: Não debato com condenados por corrupção presos ou soltos. Algumas pessoas só merecem ser ignoradas", respondeu Moro em seu Twitter, fazendo menção a resposta que deu

https://twitter.com/SF_Moro/status/1271166461684441090

A ideia de Lula foi dita durante sua entrevista a blogueiros e youtubers. Durante suas falas, o petista disse que não se preocupa com uma possível candidatura de Moro a candidato da presidência, mas que fará "das tripas coração" para não deixar que um candidato da Rede Globo, como classifica o ex-ministro. seja eleito.

“Eu não quero morrer sem mostrar o tipo de canalha que Moro e Dallagnol foram no meu processo. E quero provar através da Justiça, não fazendo nada negativo, sendo com eles o que foram comigo”, disse. “Ainda vou provar ao povo brasileiro que o ele é um embuste, um ídolo de barro", completou.

Moro foi o juiz responsável pela primeira condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá, no interior de São Paulo. Mais tarde, a pena foi elevada pelo TFR4 e fez com que Lula ficasse preso na Polícia Federal, em Curitiba, por 580 dias.