Livre circulação de motoristas de aplicativo em eventos é aprovada em primeiro turno na CMC

Redação

Vereadores de Curitiba - motoristas de aplicativo - taxista

Motoristas de aplicativo de Curitiba estão perto de terem os mesmos direitos dos taxistas em grandes eventos na capital paranaense. Foi aprovado em primeiro turno de forma unânime pela CMC (Câmara Municipal de Curitiba) nesta segunda-feira (2), projeto de lei para que esses profissionais possam embarcar e desembarcar pessoas nessas ocasiões.

O projeto teve iniciativa do vereador Bruno Pessuti (PSD) e segue o caminho de proposta aprovada no dia 11 de fevereiro, a qual permitia o trânsito livre para taxistas no entorno de grandes eventos.

Assinaram também a proposta os vereadores Cristiano Santos (PV), Dalton Borba (PDT), Dr. Wolmir Aguiar (PSC), Ezequias Barros (Patriota), Herivelto Oliveira (Cidadania), Mauro Bobato (Pode), Noemia Rocha (MDB), Osias Moraes (Republicanos), Pier Petruzziello (PTB), Professor Silberto (MDB) e Tico Kuzma (Pros).

A ideia de Pessuti é que o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assina as duas propostas de forma conjunta, dando assim tratamento igualitário para taxistas e motoristas de aplicativos.

O processo para a aprovação desse projeto é a uma nova votação em segundo turno e (posteriormente) a sanção de Greca. Após a assinatura do prefeito, a lei entrará em vigor após 60 dias da publicação no Diário Oficial do Município.

Para que possa ter acesso a esses eventos durante o horário das 22h às 5h, o motorista terá que ter o registro ativo junto a Urbs (Urbanização de Curitiba). Atualmente são 23 mil profissionais dessas empresas cadastrados com a Urbs.

“Cabe ao usuário escolher o serviço que vai utilizar (táxi ou aplicativo de transporte). Eles têm salvado vidas. Afinal, quantos jovens deixaram de dirigir embriagados”, pontuou Pessuti.

MEI’S COM PRIORIDADE

Os vereadores de Curitiba também aprovaram a prioridade para microempreendedores individuais (MEIs) para serviços de prestação de serviços para a administração municipal, em casos de dispensa de licitação.

A proposta do Professor Silberto recebeu 11 votos favoráveis, 8 contrários e 2 abstenções.

Também na sessão desta segunda-feira foi aprovada com 22 votos favoráveis a proposta do vereador Mauro Bobato para a denominação de rua no bairro Umbará como Antonio Sima. Segundo Bobato, Sima era morador da região e figura querida na comunidade até a sua morte em 1993.

Previous ArticleNext Article