Política
Compartilhar

MP acusa Hussein Bakri de oferecer propina a vereadores

Thayse Leonardi, BandNews FM Curitiba O Ministério Público do Paraná ajuizou uma ação civil pública contra o deputado es..

Redação - 21 de janeiro de 2017, 18:43

Thayse Leonardi, BandNews FM Curitiba

O Ministério Público do Paraná ajuizou uma ação civil pública contra o deputado estadual Hussein Bakri (PSD) e outras cinco pessoas por improbidade administrativa.

A ação, que corre em segredo de justiça, trata de um suposto esquema de pagamento de propina para aprovar as contas de 2006 da prefeitura de União da Vitória, no Sul do Paraná, quando Bakri era prefeito da cidade.

Segundo a investigação, feita pelo MP com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), entre os envolvidos no suposto esquema estavam três vereadores de União da Vitória em dezembro de 2016, quando ocorreria a votação das contas de Bakri.

Gravações telefônicas feitas com autorização da Justiça registraram conversas em que os envolvidos fazem um acerto, com a promessa de pagamento de propina, para que o presidente da Câmara de Vereadores colocasse as contas de Bakri para votação ainda em 2016, já que os partidários de Bakri temiam que, se a votação ficasse para 2017, as contas fossem reprovadas, deixando o atual deputado estadual inelegível.

O MP-PR também acredita que o advogado Thyago Pigatto Caus, genro de Bakri, estaria assessorando vereadores para a realização do parecer sobre as contas do ex-prefeito, o que configuraria fraude.

O chefe do Instituto Ambiental do Paraná em União da Vitória, André Luiz Aleixo, também foi denunciado por envolvimento no esquema.

As contas de Bakri não chegaram a ser votadas em dezembro de 2016 porque a Justiça suspendeu a votação e afastou temporariamente os vereadores envolvidos, no dia da sessão em que as contas seriam apreciadas.

O deputado Hussein Bakri informou que não foi intimado e que vai provar, no decorrer do processo, que é mentira que ele ofereceu propina para os vereadores.