MPF nega que procurador Diogo Castor de Mattos tenha vazado conversas

Redação

O Ministério Público Federal (MPF) informou, neste sábado (15), por meio de nota, que é falsa a informação de que o procurador da República Diogo Castor de Mattos seja responsável pelo vazamento de conversas entre o ministro Sergio Moro e procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato.

A informação circula por grupos do WhatsApp e em blogs, segundo o MPF.

“Tais  imputações são absurdas e caluniosas, e estão sendo feitas com base em reportagens antigas contendo mentiras já devidamente rechaçadas anteriormente em notas divulgadas pela assessoria de comunicação do MPF/PR nos anos de 2017 e 2018”, informa o órgão.

Na última semana, o The Intercept publicou uma série de matérias baseadas em conversas entre Sergio Moro e a força-tarefa da Lava Jato que ocorreram por meio do aplicativo Telegram. Segundo o veículo, elas foram entregues por uma fonte que não será identificada. O MPF alega que os celulares foram invadidos por hackers que tiveram acesso ao conteúdo.


Post anteriorPróximo post