MPF quer Richa de volta à prisão

CBN Curitiba

CONVENCAO PSDB PR

O Ministério Público Federal apresentou recurso ao Superior Tribunal de Justiça contra o habeas corpus que concedeu liberdade ao ex-governador Beto Richa,

No agravo regimental, o subprocurador-geral da República Hindemburgo Chateaubriand Filho pede que o ministro relator do caso ou a Sexta Turma do STJ reavalie a ordem de soltura – concedida de ofício pelo presidente da Corte Superior, ministro João Otávio de Noronha,- e que seja restabelecida a prisão do tucano.

O recurso foi apresentado ao STJ na segunda-feira (04), mas a movimentação só foi tornada pública nesta sexta (08).

Para pedir a volta do político à prisão, o subprocurador-geral da República argumenta que houve supressão de instância, uma vez que a defesa de Richa recorreu diretamente às esferas mais altas da Justiça, ignorando a necessidade de apreciação do caso – primeiro – pelo TRF4. Chateaubriand Filho destaca ainda que a decisão pela soltura desconsiderou os elementos que justificaram a medida cautelar relacionada à operação Lava Jato.

Beto Richa foi preso preventivamente no dia 25 de janeiro, sob a alegação de que teria tentado atrapalhar as investigações sobre um suposto esquema de corrupção ligado à concessão das rodovias do chamado Anel de Integração. O ex-governador foi deixou o Complexo Médico Penal seis dias mais tarde, após HC concedido pela presidência do Superior Tribunal de Justiça.

De acordo com a decisão que liberou o tucano, os fatos criminosos seriam antigos, tendo ocorrido entre 2011 e 2012. No entanto, o subprocurador-geral afirma que há elementos de prova suficientes para comprovar que Richa tentou influenciar e coagir uma testemunha em agosto de ano passado, caracterizando “fatos mais do que suficientes para a concessão da medida cautelar [prisão preventiva]”.

Previous ArticleNext Article