Política
Compartilhar

Vereador Renato Freitas será julgado pelo Conselho de Ética hoje

O parlamentar foi denunciado na Câmara por quebra de decoro, após participar de um protesto contra o racismo durante uma missa na Igreja do Rosário.

Redação - 10 de maio de 2022, 08:05

Foto: Divulgação/Câmara Municipal de Curitiba
Foto: Divulgação/Câmara Municipal de Curitiba

O Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba se reúne nesta terça-feira (10) para decidir eventuais sanções contra o vereador Renato Freitas (PT). O parlamentar foi denunciado na Câmara por quebra de decoro, após participar de um protesto contra o racismo no início de fevereiro, durante uma missa na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Centro de Curitiba.

A votação do processo contra o vereador Renato Freitas acontece a partir das 14h. A comissão do Conselho de Ética já havia se reunido na última sexta-feira (6), mas a matéria acabou adiada após a vereadora Maria Letícia (PV) pedir vistas ao processo.

Freitas responde por cinco representações formuladas pelos vereadores Eder Borges (PSD); Pier Petruzziello (PTB); Pastor Marciano Alves e Osias Moraes, ambos do Republicanos; e a dos advogados Lincoln Machado Domingues, Matheus Miranda Guérios e Rodrigo Jacob Cavagnari. Todas as representações acusam Renato Freitas de ocupar a Igreja do Rosário e impedir o exercício da fé.

O Conselho de Ética avalia se houve quebra do decoro parlamentar na participação do vereador na atividade. O relator do caso, vereador Sidnei Toaldo (Patriota), deu parecer favorável a cassação do mandato do parlamentar.

Nas alegações finais, Renato Freitas rebateu as acusações, afirmando que não liderou o ato, que a entrada na igreja foi pacífica e que não houve desrespeito à fé católica.

"Eu entendo que minha entrada na igreja, numa manifestação pacífica, com as portas da igreja abertas e sem nenhuma ordem para que não entrassem, e depois sem nenhuma ordem para que saíssemos, eu entendo como o exercício do livre direito do manifestar da cidadania, mas, principalmente, da liberdade religiosa. A injustiça praticada em qualquer lugar do mundo é uma ameaça à justiça em todos os lugares do mundo. Essa é uma frase do Martin Luther King Jr. que eu tomo pra mim. A injustiça que se faz lá perpetua a injustiça que ocorre aqui", disse.

Leia também:
Ciro Gomes testa positivo para covid-19 e suspende atividades da pré-campanha
Política
Ciro Gomes testa positivo para covid-19 e suspende atividades da pré-campanha

Redação

09 de maio de 2022, 18:40

Aliados de Bolsonaro querem demover Daniel Silveira de disputar o Senado
Política
Aliados de Bolsonaro querem demover Daniel Silveira de disputar o Senado

Folhapress

08 de maio de 2022, 16:26

« arraste para o lado »