“Todos vocês vão virar Lula”: em último discurso, Lula convoca militantes

Mariana Ohde

Lula discursou na manhã deste sábado (7), antes de viajar a Curitiba para se entregar à PF.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou, durante discurso neste sábado (7), em São Bernardo do Campo, que vai se entregar à Polícia Federal (PF). Lula teve sua prisão decretada na quinta-feira (5), pelo juiz federal Sérgio Moro, e optou por não se entregar dentro do prazo estipulado – até as 17h desta sexta-feira (6).

Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso triplex do Guarujá (SP), no âmbito da Operação Lava Jato.

“Vou atender ao mandado deles. Quero transferir a responsabilidade a eles”, disse, e completou: “Todos vocês vão virar Lula e vão andar por esse país fazendo o que têm que fazer”.

Lula deve chegar a Curitiba ainda neste sábado, mas não há previsão de chegada. “Eu não to escondido, eu vou lá na barba deles, para eles saberem que eu não tenho medo”, afirmou. “Quanto mais dias me deixarem lá [preso], mais Lulas vão nascer neste país”.

Lula convocou os militantes para manter viva a sua luta. “Eles têm que saber que vamos fazer uma regulação para que o povo não seja vítima da mentira”. Ele ainda afirmou que “a morte de um combatente não para a revolução”. O ex-presidente disse, também, que seguirá na luta para provar sua inocência.

Em seu pronunciamento, durante a missa de homenagem à falecida ex-primeira-dama Marisa Letícia, Lula também criticou a imprensa e membros da força-tarefa da Lava Jato. “Há muito tempo atrás eu sonhei que era possível um metalúrgico sem diploma na universidade cuidar mais da educação do que os diplomados e concursados que governaram esse país”, afirmou. “Se foi esse o crime que eu cometi, eu vou continuar sendo criminoso”.

Ele também fez críticas ao Judiciário e ao juiz Sérgio Moro, que expediu sua ordem de prisão. “Eu sou o único ser humano processado por um apartamento que não é meu, e eles sabem que a Lava Jato mentiu que era meu, o MP mentiu que era meu, e eu pensei que o Moro ia resolver e também mentiu que era meu, e me condenou”.

“Eu tenho 72 anos. Mas eu não os perdoo por ter mentido que sou ladrão”.

Lula criticou, também, o procurador Deltan Dallagnol, sem citar seu nome. “O que eu não posso admitir é o procurador que fez um Power Point e foi para a TV dizer que o PT é uma organização criminosa que quer roubar o Brasil e que Lula é o chefe. E que, se ele é o chefe, eu não preciso de provas, eu tenho convicção. Eu quero que ele guarde a convicção dele para os comparsas dele e não para mim”.

Após discursar, o ex-presidente passou mal e precisou ser atendido dentro do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde está desde quinta-feira (5).

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="515867" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]