Lula deixa carceragem pela primeira vez para prestar depoimento

Andreza Rossini e Francielly Azevedo - CBN Curitiba


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, deixou o local pela primeira vez às 13:30 desta quarta-feira (14). Ele foi para a sede da Justiça Federal, também na capital paranaense, onde vai prestar depoimento à juíza Gabriela Hardt, no processo referente ao Sítio de Atibaia.

O trajeto foi feito sob escolta de carros e motos da Polícia Federal e Militar e durou sete minutos, sem nenhuma ocorrência.

Essa é a primeira vez que Lula tem contato com Gabriela, que assumiu o cargo deixado por Moro frente à Operação Lava Jato, na 13ª Vara Federal de Curitiba. Há policiamento ao redor do prédio da Justiça. Durante a manhã, aproximadamente cem apoiadores do ex-presidente estavam reunidos na Vigília Lula Livre, em um terreno ao lado da PF.

O depoimento estava previsto para ocorrer em agosto, mas foi remarcado por Moro devido ao período eleitoral.

O ex-presidente está preso desde abril, condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem no processo do Triplex do Guarujá.

Foto: Francielly Azevedo/ CBN Curitiba

Outros depoimentos 

Também será ouvido hoje o pecuarista José Carlos Bumlai, réu acusado de pagar parte das obras. Ele será o primeiro a prestar depoimento. Lula começou a ser ouvido em seguida, por volta das 15:10.

Outras 12 pessoas são rés na ação. Já foram ouvidos Emílio e Marcelo Odebrecht. Marcelo afirmou que as obras foram realizadas para “pessoa física” do ex-presidente e que toda família Odebrecht sabia que o sítio era do petista. Também já prestou depoimento o empresário Fernando Bittar, um dos donos do sítio, que disse que não achou que havia algo de ilícito nas obras. Ele as classificou as como “obras simples, que foram superdimensionadas”.

Visitas

Antes de sair para prestar depoimento, Lula recebeu visita de Fernando Haddad, que atua como advogado no caso, além da senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, do senador Lindberg Farias, dos deputados federal Enio Verri (PT), Décio Lima (PT) e José Guimarães (PT).

Veja o momento em que Lula deixa a carceragem da PF:

Sítio de Atibaia

De acordo com a denúncia do MPF, o ex-presidente Lula seria responsável por comandar “uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar, assentada na distribuição de cargos públicos na Administração Pública Federal” e teria recebido cerca de R$ 870 mil em vantagens indevidas em forma de reformas, construção de anexos e outras benfeitorias no Sítio de Atibaia.

A denúncia foi elaborada com base em depoimentos, documentos apreendidos, dados bancários e fiscais bem como outras informações colhidas ao longo da investigação, todas disponíveis nos anexos juntados aos autos.

Após ouvir os réus, a juíza responsável recebe as alegações finais e aplica a sentença, sem um prazo definido.

Previous ArticleNext Article