camara de tamarana
Compartilhar

“Não imaginava que um juiz tivesse apoiadores e oponentes”, diz presidente nacional do PT

Em visita a Curitiba ao lado da comitiva do PT, o  presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, critico..

Jordana Martinez - 10 de maio de 2017, 15:22

Em visita a Curitiba ao lado da comitiva do PT, o  presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, criticou o "clima de guerra" por conta do depoimento de Lula ao juiz Sergio Moro, e questionou a atuação da força-tarefa da Lava-Jato

Além do presidente Rui Falcão, vieram para Curitiba políticos importantes do partido, para também demonstrar apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Viemos aqui para dar o nosso apoio porque é uma festa da democracia, da Justiça e, naturalmente, de defesa do presidente Lula que está sendo perseguido há anos", afirmou em entrevista à  rádio CBNCuritiba.

O presidente nacional do PT saiu em defesa de Lula, salientando que o ex-presidente da República não se negou a prestar esclarecimentos para a Justiça. E considerou a audiência desta quarta-feira como a primeira oportunidade para Lula se defender das acusações.

"O presidente Lula nunca se recusou a prestar esclarecimento à Justiça. Inclusive, em uma das oportunidades, uma das arbitrariedades do juiz Moro foi conduzí-lo coercitivamente sem sequer ter sido intimado para prestar depoimento. Imagina que essa é a primeira oportunidade que ele tem de se defender ainda que de forma parcial", argumentou.

Rui Falcão criticou a gravação feita pelo juiz federal Sérgio Moro que foi publicada nesta semana nas redes sociais.

"Vi a declaração dele, parcial, porque pede para que seus apoiadores não venham a Curitiba. Eu não imaginava que um juiz tivesse apoiadores e oponentes. Um juiz tem que ser imparcial, ele não é político, ele não deveria ter esse comportamento político", disse.

O presidente nacional do PT e outros políticos ligados ao partido confirmaram presença no ato que será realizado no início da noite desta quarta-feira na Praça Santos Andrade, no centro de Curitiba.

Protesto e Comício

Os integrantes do acampamento em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seguiram da Rodoferroviária de Curitiba para a Praça Santos Andrade. No local, participam de uma série de atividades, desde aulas públicas, manifestações de lideranças até o esperado "Comício" do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma Roussef, previsto para o início da noite desta quarta-feira.

Segundo a Polícia Militar, pelo menos 5 mil manifestantes estão no local. Volume que deve aumentar no decorrer do dia.

O coordenador da Frente Brasil Popular Diego Moreira, que junto a cerca de 80 entidades, organiza manifestações em Curitiba, afirmou que os atos tem outros objetivos além de apoiar o ex-presidente. “Queremos impedir que a constituição brasileira seja rasgada, estamos acompanhando a perda dos direitos trabalhistas, que só vem escravizar o povo brasileiro. É um acampamento em defesa da constituição, da democracia e do povo brasileiro”, afirmou.