OAB denuncia compra de votos e encaminha gravações ao Ministério Público

Fernando Garcel


A subseção de São José dos Pinhais, município da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) encaminhou uma denúncia de compra de votos ao Ministério Público (MP).

De acordo com a OAB-SJP, um candidato a vereador pagou em dinheiro para que eleitores tirassem fotos do voto na urna eletrônica. A denúncia encaminhada ao MP acompanha nomes e gravações das compras de voto. “Caberá às autoridades apurarem os fatos e se confirmada a justiça pode cassar o político que foi colocado no poder pelo próprio povo. A compra de votos deixa claro que a corrupção está enraizada e sendo disseminada como um câncer silencioso”, diz a OAB em nota.

Foram eleitos em São José dos Pinhais, os candidatos Professor Abelino (PSB), Nina Singer (DEM), Gilberto Mello (PV), Juliano Martins (PSC), Professor Marcelo (REDE), Professor Assis (PSDB), Ailton Feneme (PTB), Luiz Paulo (PSB), Abilio (DEM), Alex Purkote (DEM), Bira do Banco (PC do B), Carlos Machado (PSDB), Mari Temperasso (PSDB), Edson Dangui (PSC), Dr. Ido (PMDB), Fátima de Paula (PP), Tico Setnarsky (PMDB), Silvio Santo (PSC), Tadeu Camargo (PSL), Pastor Gilmar (PSC) e Elcio do Bolinho (PP). Eleitos, os candidatos receberão salários de pouco mais de R$ 12 mil, além de outros benefícios.

Agora, a partir da denúncia encaminhada pela OAB-SJP, os promotores eleitorais devem fazer a investigação, ouvir testemunhas e coletar provas e os documentos ao procurador regional para propor a ação ou formular a denúncia por crime eleitoral. Se for caracterizado o crime, há a cassação do registro ou do diploma e a aplicação de multa.

Nota na íntegra:

A pratica de compra de voto nas eleições municipais em São José dos Pinhais/PR teria sido utilizada por candidato a vereador que pagou em dinheiro para quem apresentasse foto do voto na urna eletrônica. A denúncia para a OAB/SJP veio acompanhada com nomes e áudios que foram encaminhados para o Ministério Público.

Os eleitores de alguns candidatos  transformaram seus votos em moeda de troca sem imaginar as consequências, especialmente porque elegeram os fiscais do dinheiro público, da realização de obras, investimentos na saúde, educação, enfim os destinos do Município.

Caberá às autoridades apurarem os fatos e se confirmada a justiça pode cassar o político que foi colocado no poder pelo próprio povo. A compra de votos deixa claro que a corrupção está enraizada e sendo disseminada como um câncer silencioso.

Por este motivo será em vão a atual supressão e relativização de direitos no âmbito das leis e da Constituição Federal em nome da corrupção, enquanto o cidadão não reconhecer o poder do voto. Todo esforço da sociedade contra a corrupção tem esbarrado nela própria, com inversão de valores, menosprezando-se a ética e a própria justiça.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="397042" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]