Política
Compartilhar

Tribunal da OAB vê impedimento em trabalho de Moro para consultoria

O Tribunal de Ética e Disciplina da OAB do estado de São Paulo enviou carta ao ex-ministro Sergio Moro (Justiça) alertan..

Jorge de Sousa - 02 de dezembro de 2020, 22:13

***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF,  BRASIL,  31-03-2020 - Os ministros da Justiça, Sérgio Moro, da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, da Casa Civil, General Braga Netto e da Economia, Paulo Guedes, durante coletiva de imprensa para falar sobre as ações do governo no Combate ao novo Coronavírus. No palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 31-03-2020 - Os ministros da Justiça, Sérgio Moro, da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, da Casa Civil, General Braga Netto e da Economia, Paulo Guedes, durante coletiva de imprensa para falar sobre as ações do governo no Combate ao novo Coronavírus. No palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

O Tribunal de Ética e Disciplina da OAB do estado de São Paulo enviou carta ao ex-ministro Sergio Moro (Justiça) alertando-o para conflitos éticos caso pratique atividade advocatícia para a consultoria Alvarez & Marsal e mencionando a possibilidade de ele ser alvo de medidas judiciais.

"Notificamos Vossa Senhoria para que não pratique atividade privativa de advocacia aos clientes da empresa Alvarez & Marsal, sob pena de adoção de medidas administrativas e judiciais pertinente", diz o comunicado, assinado pelo presidente do tribunal, Carlos Kauffmann.

Segundo a carta, com data da última terça-feira (1º), advogados inscritos na OAB, caso de Moro, "por expressa vedação legal não podem divulgar seus serviços em conjunto com outras atividades, inclusive com aquela prestada por empresas de consultoria".

"Notificamos Vossa Senhoria não incorra em violação aos preceitos éticos-disciplinares", diz o documento,

O recado para Moro, segundo a reportagem apurou, é que poderia haver um conflito de interesses pelo fato de a consultoria trabalhar para empresas que foram alvos da Lava Jato, como a Odebrecht. O ex-juiz foi contratado para atuar na área de compliance de clientes da consultoria.

Desde que deixou o Ministério da Justiça, Moro vem sendo questionado por setores da OAB e grupos de advogados como o Prerrogativas, em seu objetivo de exercer a advocacia.

Procurado, o ex-juiz não quis se manifestar.

LEIA MAIS: MP recomenda suspensão da prova do PSS para contratação de professores temporários