Defesa de Lula pede que ação que investiga obras em Atibaia seja remetida a justiça de SP

Francielly Azevedo


Da BandNews FM Curitiba

A defesa do ex-presidente Lula volta a dizer que o juiz Sérgio Moro não tem competência para julgar o processo que investiga obras de reforma no sítio de Atibaia e pede que a ação seja remetida a justiça de São Paulo. Os advogados do petista ainda exigem que a investigação contra ele seja considerada improcedente e pedem que Lula seja absolvido de todas as acusações.

O Ministério Público Federal acusa o ex-presidente Lula de receber vantagens indevidas da OAS e da Odebrecht através de benfeitorias no sítio de Atibaia. Conforme a denúncia, as melhorias no imóvel totalizaram um milhão de reais. Caso a ação permaneça nas mãos de Sérgio Moro, a defesa de Lula ainda quer ter acesso integral aos sistemas Drousys e My Web Day, que contém registros de vantagens indevidas que teriam sido pagas pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht.

De acordo com os advogados do ex-presidente, o conhecimento de todas as informações do sistema permite a ampla defesa e o contraditório do acusado. Os depoimentos de testemunhas de acusação deste processo começam no dia 05 de fevereiro de 2018. Ao todo, treze pessoas serão ouvidas pelo juiz Sérgio Moro. Entre elas estão: o casal de marqueteiros João Santana e Monica Moura, os ex-dirigentes da Petrobras Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Pedro Barusco e o doleiro Alberto Youssef. Depois das audiências da acusação, serão ouvidas as testemunhas de defesa.

De acordo com a justiça federal, os advogados de Lula indicaram 59 pessoas para testemunharem em favor do ex-presidente. Em despacho, Moro questionou a defesa do petista sobre a necessidade de ouvir todas elas, já que algumas testemunharam também em outros processos. Além do ex-presidente também são réus no processo outras doze pessoas.

Segundo o Ministério Público Federal, os recursos para a reforma no sítio de Atibaia vieram de seis contratos firmados entre as empreiteiras OAS e Odebrecht e a Petrobras. A defesa de Lula nega todas as acusações e diz que “não existe qualquer elemento mínimo que permita cogitar que Lula praticou qualquer dos crimes indicados pelo MPF”.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.