PGR denuncia Geddel por lavagem de dinheiro e associação criminosa

Mariana Ohde


Com André Richter, Agência Brasil

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou, neste segunda-feira (4), ao Supremo Tribunal Federal (STF) o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o irmão dele, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. Também foram denunciados pelos mesmos crimes a mãe de Geddel, Marluce Vieira Lima, e um ex-assessor do deputado, Job Brandão.

A investigação está relacionada à apreensão, pela Polícia Federal (PF), dos R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador. É a maior apreensão de dinheiro em espécie da história da PF.

Geddel foi preso no dia 8 de setembro, três dias depois que a PF encontrou o dinheiro no apartamento de um amigo do político. Os valores apreendidos foram depositados em conta judicial.Dinheiro Geddel

Segundo a PF, parte do dinheiro seria resultante de um esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição.

Operação Cui Bono

Geddel é investigado na Operação Cui Bono, que apura desvios de recursos em vice-presidências na Caixa Econômica Federal. A primeira fase foi deflagrada em 13 de janeiro deste ano e investigou esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013.

De acordo com a investigação, entre março de 2011 e dezembro de 2013, a vice-presidência de Pessoa Jurídica da instituição era ocupada por Geddel Vieira Lima.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal