Advogado de Youssef diz que criou empresa para Paulo Roberto Costa distribuir patrimônio

Roger Pereira


Os irmãos Leonardo e Leandro Meirelles, ex-sócios de Alberto Youssef em alguns negócios do doleiro, e o advogado das empresas de Youssef, Matheus Oliveira dos Santos, réus em ação penal da Operação Lava Jato, acusados de serem operadores de propinas, prestaram, nesta segunda-feira, depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba.

Falando pela primeira vez como colaboradores oficiais da Jutiça, após acordo de delação premiada homologado pelo Supremo Tribunal Federal, os irmãos Meirelles confirmaram que atuaram no exterior para “fazer dinheiro” para Yousseff, em contratos fictícios de importação, usando, inclusive, comerciantes da rua 25 de Março, tradicional ponto de comércio popular de São Paulo, para esquentar o dinheiro do doleiro em operações de câmbio.

Já o advogado, disse que atuou exclusivamente na constituição de empresas e em consultorias jurídicas para atividades legais do doleiro, não se envolvendo nos negócios ilícitos, informação confirmada pelas demais testemunhas.

Dos Santos admitiu, no entanto, que, a pedido de Youssef, atendeu o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, na abertura de empresas em nome das filhas do ex-diretor para a distribuição do patrimônio de Costa, operação que ele disse considerar totalmente legal, embora, posteriormente, Costa transformou a empresa em offshore e a utilizou para receber recursos ilícitos.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal