Agenda de presidente da OAS teve encontros com Lula e assessor de Dilma

Redação


Uma agenda com o registro das reuniões, almoço e jantares do presidente da empreiteira OAS condenado na Operação Lava Jato, Léo Pinheiro, com políticos foi apreendida na casa de um dos funcionários da empresa, o secretário Marcos Paulo Ramalho, durante as investigações da força-tarefa, no dia 14 de abril.

A maior parte dos encontros foram agendados em hotéis de Brasília, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o assessor da presidente afastada Dilma Rousseff, Charles Capela de Abreu e com os ex-ministros José Dirceu e Gilberto Carvalho. Todos são alvos de pedidos de investigação do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. A maioria dos encontros estavam marcados para maio e abril de 2014.

Na mesma agenda, foram encontrados encontros com outros presos da operação, como o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto e o lobista Julio Camargo, delator dos processos, que confessou ter atuado em parceria com Léo Pinheiro para blindar empreiteiras na CPI da Petrobras, caso investigado na Operação Vitória de Pirro. Outros políticos como o presidente da Fiesp e candidato derrotado ao governo de São Paulo em 2014, Índio da Costa e Paulo Skaf, também tinham encontros marcados com o empreiteiro.

Pinheiro negocia com a força-tarefa da Lava Jato um acordo de delação premiada, em busca da redução da pena de 16 anos e quatro meses de prisão, por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras. Os encontros com políticos é parte dos itens que a Procuradoria quer que o empresário detalhe. As anotações do secretário do empreiteiro surgiram após ele ser mandado cumprir prisão cautelar em casa, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com informações do jornal Estado de S.Paulo

Previous ArticleNext Article