Após morte de advogado, depoimento de Bumlai é adiado pela terceira vez

Andreza Rossini


Foi adiado pela terceira vez o interrogatório do pecuarista José Carlos Bumlai, que estava marcado para esta quarta-feira (25), na Justiça Federal, em Curitiba. O depoimento foi remarcado para a próxima segunda-feira (30). Bumlai foi preso na 21ª fase da Lava Jato e está em prisão domiciliar para tratamento médico. O depoimento do filho do pecuarista, Maurício de Barros Bumlai, também ficou agendado para segunda.

O pecuarista veio a Curitiba na terça-feira (24) prestar depoimento para a Polícia Federal. Após a morte de um dos advogados de Bumlai, o pecuarista Arnaldo Medeiros Filho, a defesa pediu um novo adiamento no depoimento a ser prestado ao juiz Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal de Curitiba. Moro acatou o pedido da defesa, que afirmou que nenhum dos advogados que integram a banca atualmente estariam em condições emocionais de participar do interrogatório hoje (25).

Arnaldo Malheiros Filho

Um dos mais importantes advogados criminalistas do país, atuou em outros escândalos nacionais, como no mensalão, quando defendeu o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares. Também foi advogado dos ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e Fernando Collor de Mello. O criminalista ainda teve o nome cotado por diversas vezes para ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

Bumlai

O pecuarista é a figura central no processo que investiga o empréstimo de R$ 12 milhões que recebeu do Banco Schahin e que teria beneficiado o Partido dos Trabalhadores (PT). A ação penal tem um total de dez réus denunciados pelos crimes de corrupção passiva, ativa, lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta.

Com informações da BandNews Curitiba

Previous ArticleNext Article