Auxílio-moradia compensa falta de reajuste, afirma Moro

Roger Pereira

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) – O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em Curitiba, diz que o auxílio-moradia é uma maneira de compensar a falta de reajuste salarial dos juízes federais.
“O auxílio-moradia é pago indistintamente a todos os magistrados e, embora discutível, compensa a falta de reajuste dos vencimentos desde 1 de janeiro de 2015 e que, pela lei, deveriam ser anualmente reajustados”, afirmou o magistrado ao jornal “O Globo”. A declaração foi confirmada pela assessoria.
A Folha de S.Paulo revelou nesta sexta-feira (2) que Moro recebe mensalmente R$ 4.378 de auxílio-moradia, mesmo tendo imóvel próprio em Curitiba desde 2002. Ele fez uso de decisão liminar de setembro de 2014, do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux, que estendeu o benefício a todos os juízes do país.
Somente no fim do ano passado, Fux liberou a liminar para ser julgada pelos 11 ministros do STF. A presidente da corte, Cármen Lúcia, afirmou que pretende pautar o assunto em março.

VENCIMENTOS

O recebimento de auxílio-moradia por um juiz que possui imóvel na cidade onde trabalha não é ilegal, mas levanta questionamentos.
Nesses casos, na prática o valor do benefício é incorporado ao salário do magistrado, mas não conta para o teto constitucional dos vencimentos do setor público, de R$ 33.763.
A prática é comum no Poder Judiciário. Como mostrou a Folha nesta quinta (1º), 26 ministros de tribunais superiores, em Brasília, recebem auxílio-moradia mesmo tendo imóvel próprio na cidade.
Moro começou a receber o auxílio-moradia em outubro de 2014. Acrescentado o auxílio-alimentação de R$ 884, as indenizações totalizam R$ 5.262 por mês.
Com salário-base de R$ 28.948, sua remuneração bruta chega a R$ 34.210, se somados os benefícios acima do teto, portanto.

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal
Comentários de Facebook