Bumlai e Delúbio serão confrontados em acareação por Sérgio Moro

Narley Resende


(Com informações da BandNews FM Curitiba)

O ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) Delúbio Soares e o pecuarista José Carlos Bumlai participam nesta segunda-feira (27) à tarde de uma acareação. Bumlai participará por videoconferência por São Paulo e Delúbio em Curitiba, na Justiça Federal.

O juiz federal Sérgio Moro autorizou o procedimento, a pedido de Delúbio Soares, que nega ter participado de uma reunião para negociação do empréstimo de 12 milhões de reais do Banco Schahin ao pecuarista. Bumlai afirma que o ex-tesoureiro do PT também estava presente no encontro.

Esta é a primeira vez que uma acareação de réus da Lava Jato será realizada na Justiça Federal. Em outras ocasiões os investigados participaram desse tipo de procedimento na Polícia Federal e na CPI da Petrobras.

Delúbio Soares é investigado pela 27ª fase da operação Lava Jato junto com outras oito pessoas. De todos os réus desta ação penal, apenas o dono do Diário do Grande ABC, o empresário Ronan Maria Pinto, continua preso. Ronan é acusado de ter recebido R$ 6 milhões do empréstimo que foi feito ao pecuarista José Carlos Bumlai.

De acordo com as investigações, Delúbio Soares teria intermediado as negociações entre Bumlai e o Partido dos Trabalhadores. O procurador do Ministério Público Federal Diogo Castro disse que a participação de Delúbio foi citada por três pessoas.

“Delúbio Soares foi citado por José Carlos Bumlai, Salin Schain [do Banco Schahin] e Sandro Tordin [então presidente do banco] como a pessoa que representou os interesses do Partido dos Trabalhadores no Banco Schahin para a obtenção desse empréstimo fraudulento”, disse o procurador em abril, quando foi deflagrada a 27ª fase da operação.

Segundo Castro, em cada uma das versões, Delúbio aparece com uma participação diferente, mas como alguém que estaria ciente do que estava sendo tratado.

“Salin Schahin fala que Bumlai foi acompanhado de Delúbio Soares, que explicou que aquele empréstimo tinha o apoio do partido”, disse Castro.

“Esta versão é corroborada em parte por Bumlai. Na versão dele, Delúbio não teria participado diretamente da reunião, mas estaria ciente dos fatos, representando os interesses do PT. A versão de que ele participou dessa operacionalização é também dada pelo Sandro Tordim, então presidente do Banco Schahin.”

Previous ArticleNext Article