Considerado foragido da 29ª fase da Lava Jato, empresário se entrega à PF

Roger Pereira


Considerado foragido após a 29ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada na última segunda-feira, o empresário Humberto do Amaral Carrilho entregou-se nesta quinta-feira à Polícia Federal de Curitiba. Com prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro desde segunda-feira, na Operação batizada de Repescagem, Carrilho é suspeito de pagar propina ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Segundo a Polícia Federal, o empresário explicou que , na segunda-feira, estava fora do Brasil, em uma viagem de trabalho, e cancelou seus compromissos no exterior, retornando para o país assim que soube que era alvo de um mandado de prisão.

Segundo a Polícia Federal, Carrilho se entregou espontaneamente, por volta das 15h30. Em seguida, prestou depoimento e foi levado para a cela, onde deverá permanecer pelos próximos cinco dias. Caberá a Moro definir se prorroga o prazo por mais cinco dias, se libera o empresário ou se transforma o regime em preventivo, ou seja, com prazo indeterminado.

Humberto do Amaral Carrilho é empresário do setor de combustíveis de Recife. Em delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que Carrilho, dono da empresa Distribuidora Equador, o procurou, entre 2008 e 2009, com um projeto de construção de um Terminal de Derivados no Rio Amazonas, em Itacotiara.

De acordo com Costa, o projeto foi aceito, e a empresa foi contratada pela Petrobras, sem licitação, graças ao pagamento de R$ 1,3 milhão em propina.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal