Defesa de Lula é contra provas emprestadas de outras ações

Jordana Martinez


Thaissa Martiniuk | BandNews FM Curitiba

A defesa do ex-presidente Lula é contra à utilização de prova emprestada em ação penal da Lava Jato que acusa o petista de receber vantagens indevidas da OAS e da Odebrecht por meio de benfeitorias em um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo.

Em despacho do começo do mês (novembro), o juiz Sérgio Moro pediu para que Ministério Público Federal e as defesas dos réus informassem sobre a possibilidade de utilizar nesta ação penal depoimentos de testemunhas que já foram ouvidas em outros processos.

Em petição, os advogados de Lula esclarecem que a prova emprestada fere o direito de ampla defesa e do contraditório do acusado. De acordo com o advogado Cristiano Zanin Martins, os fatos apurados na ação que tem como objeto o sítio de Atibaia são diferentes dos investigados nos demais processos que o ex-presidente responde na Lava Jato em primeira instância Portanto, a defesa de Lula pede que todas as testemunhas sejam ouvidas para esclarecer especificamente as acusações relacionadas a esta investigação.

Além do petista também são réus no processo outras doze pessoas. Segundo o Ministério Público Federal, os recursos para a reforma no sítio de Atibaia vieram de seis contratos firmados entre as empreiteiras OAS e Odebrecht e a Petrobras. A defesa de Lula nega todas as acusações e diz que “não existe qualquer elemento mínimo que permita cogitar que Lula praticou qualquer dos crimes indicados pelo MPF”.

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.