Delatores da Lava Jato são interrogados pela Justiça Federal do Paraná

Fernando Garcel


Com BandNews FM Curitiba

O empresário e um dos sócios da empreiteira Carioca Engenharia, Ricardo Pernambuco, o ex-vereador Alexandre Romano (PT) e os operadores Roberto Trombeta e Rodrigo Morales são interrogados nesta terça-feira (13), pela Justiça Federal do Paraná.

Os quatro são réus em um processo que investiga a formação de cartel e o pagamento de propinas para realizar obras de ampliação do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes). Todos são delatores. Ao todo, 14 pessoas respondem criminalmente nesta ação penal, entre elas o empresário Adir Assad, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque.

Os interrogatórios continuam na quarta e na quinta-feira (15). Seis prestam depoimentos amanhã e os últimos quatro réus têm audiências marcadas para o dia seguinte.

As obras do Cenpes foram o principal alvo da Operação Abismo, 31ª etapa da Lava Jato. A denúncia envolve o Consórcio Novo Cenpes – formados pelas empreiteiras OAS, Construbase, Construcap, Schahin e Carioca Engenharia. As empresas teriam pago propinas para vencer a licitação das obras.

O cartel, inclusive, teria oferecido dinheiro para que a empreiteira WTorre – que tinha apresentado a melhor proposta na licitação – deixasse de concorrer aos contratos. A propina paga nesse contexto é correspondente a 2% do valor do contrato e dos aditivos para as obras de ampliação do Cenpes. Os valores movimentados por crimes de corrupção ultrapassam os R$ 20 milhões. Os réus do processo respondem a crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, e associação criminosa.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="403246" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]