Delúbio Soares, Ronan e mais sete viram réus na Operação Lava Jato

Andreza Rossini


O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações em primeira instância da Operação Lava Jato aceitou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o empresário Ronan Maria Pinto, o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares e mais oito investigados na operação, nesta quinta-feira (12). Ronan está preso desde abril, quando foi deflagrada a 27ª fase da Lava Jato, batizada de Carbono, no Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O publicitário Marcos Valério, que já cumpre pena pelo mensalão, também se tornou réu da operação. As denúncias foram oferecidas pelo MPF no dia 6 de maio. Todos vão responder por lavagem de dinheiro.

Veja a lista dos denunciados 

1) Breno Altman, jornalista;

2) Delúbio Soares de Castro, ex-tesoureiro do PT;

3) Enivaldo Quadrado, empresário;

4) Luiz Carlos Casante, empresário;

5) Marcos Valério Fernandes de Souza, publicitário;

6) Natalino Bertin, empresário;

7) Oswaldo Rodrigues Vieira Filho, empresário dono da Remar;

8) Ronan Maria Pinto, empresário;

9) Sandro Tordin, ex-presidente do Banco Schahin.

Ronan é acusado de receber R$ 6 milhões do empréstimo realizado pelo pecuarista José Carlos Bumlai e o Banco Schahin. Segundo o MPF, o empréstimo foi pago por meio de uma contratação da Petrobras com o Grupo Schahin, em um contrato de 2009, no valor de US$ 1,6 bilhão.

Em delação, o empresário Marcos Valério afirmou que parte do empréstimo obtido por Bumlai era destinado a Ronan, que extorquia os dirigentes do PT. O dinheiro seria utilizado para comprar ações do jornal “Diário Grande do ABC”, já que o veículo ligava Ronan Maria Pinto a morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.

Previous ArticleNext Article