Operação Lava Jato
Compartilhar

Deputados dizem desconhecer propina a Palocci

Por Thaíssa Martiniuk/BandNews FM CuritibaOs quatro parlamentares que prestaram depoimento nesta terça-feira (21)..

Roger Pereira - 21 de março de 2017, 22:03

Por Thaíssa Martiniuk/BandNews FM Curitiba

ANÚNCIO

Os quatro parlamentares que prestaram depoimento nesta terça-feira (21) como testemunhas de defesa na Lava Jato disseram que não sabem se o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-assessor dele, Branislav Kontic, receberam algum tipo de vantagem indevida. Eles também afirmaram desconhecer o favorecimento a empresas por parte dos réus. Foram ouvidos os deputados federais Miro Teixeira (REDE), Carlos Zarattini e Paulo Teixeira (ambos do PT) e o senador Jorge Viana (também do PT). As audiências foram realizadas em Brasília e transmitidas para Curitiba por videoconferência. A ação penal tem 15 réus e é relacionada a 35ª fase da operação Lava Jato, deflagrada em setembro do ano passado.

A denúncia está relacionada à obtenção, pela empreiteira Odebrecht, de contratos de afretamento de sondas com a Petrobras. De acordo com as investigações, os repasses feitos a Palocci ultrapassam a marca dos R$ 128 milhões. Em audiência, o ex-ministro das Comunicações do governo Lula e atual deputado federal Miro Teixeira disse que pelo cargo que ocupava, Palocci tinha muito contato com empresários, mas afirmou que não sabe de irregularidades praticadas pelo ex-ministro. O senador Jorge Viana, que ocupou o cargo de governador do Acre quando Palocci estava no Ministério da Fazenda, disse que o ex-ministro atuou de forma fundamentada com o objetivo de trazer crescimento econômico para o país. Além disso, o senador negou que Palocci tenha tentado favorecer empresas ou setores empresariais.

Para esta quarta-feira, estão previstos três depoimentos, entre eles, do senador Armando Monteiro do PTB. Ele foi indicado como testemunha de defesa do ex-ministro Antônio Palocci. As audiências estão programadas para começar às dez horas da manhã e todas serão feitas por videoconferência.