“O juiz é incompetente para julgar esse caso”, afirmam advogados de Lula

Francielly Azevedo


Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberam a imprensa em uma coletiva, no início da noite desta quarta-feira (10), no Restaurante Madalosso, em Curitiba. Ambos fizeram esclarecimentos e um balanço sobre o depoimento de Lula, que durou quase cinco horas, nesta tarde.

Cristiano Zanin Martins, José Roberto Batochio e Valeska Teixeira Zanin Martins afirmaram que o ex-presidente respondeu a todas as questões que eram relativas ao tríplex no Guarujá. Segundo eles, a audiência aconteceu para ouvir sobre a acusação formal em relação a este assunto, não questões governistas da época em que Lula presidia o país. “Nós, da defesa técnica, orientamos o presidente Lula a responder apenas questões sobre o apartamento e sobre o acervo. Não questões de natureza política, que não estão sob julgamento do juiz Moro, e nem podem estar”, ressaltou Cristiano Zanin.

 

Perseguição política

De acordo com Cristiano, “está sendo utilizado um procedimento jurídico para fins de perseguição política”. Além disso, depois de cinco horas de questionamentos ao ex-presidente, os advogados declararam que o balanço da “colheita” feita pelo juiz Sérgio Moro é “absolutamente zero”. “O que ficou claro é que o ex-presidente Lula é inocente. A sua inocência está claramente demonstrada e buscou-se fazer ali uma cena que não tem qualquer relação com o processo judicial, mas sim uma cena de perseguição política”, destacou.

Batochio, registrou que não foram mostradas provas sobre a propriedade do apartamento, porque o imóvel nunca pertenceu ao ex-presidente Lula. “Depois de quase cinco horas de perguntas sobre a propriedade do imóvel, perguntas que se repetiam por três, quatro, cinco e até seis vezes, o que se conseguiu de provas contra o ex-presidente Lula foi absolutamente nada”, considerou.

Zanin disse também que o juiz Moro questionou Lula sobre assuntos que não tinham relação com a ação penal, como o julgamento do mensalão. “Desde quando uma pessoa que está ali para se defender tem que dar uma opinião sobre um julgamento já finalizado sobre a Suprema Corte brasileira? Isso não tem o menor cabimento”, reforçou.

 

Sérgio Moro não deveria julgar 

Os defensores declararam que o juiz Sérgio Moro não deveria ser o escolhido para julgar o processo do tríplex, já que os supostos crimes não foram cometidos em Curitiba. “O juiz é incompetente para julgar esse caso, há incompetência territorial, no aspecto técnico na palavra, para que essa ação seja julgada em Curitiba”, disse o advogado Zanin.

Zanin falou que existem violações do estado de direito de Lula e que, por esse motivo, existe a suspeição do juiz Moro.”Nós temos elementos concretos de que em nenhum lugar do mundo um magistrado, depois de tendo praticado os atos do juiz Moro, poderia ser reconhecido como legítimo em qualquer julgamento praticado contra o ex-presidente Lula”, relatou.

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="430401" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]