Fachin remete à 1ª instância parte dos inquéritos que envolvem o presidente da República

Roger Pereira


O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o desmembramento dos autos dos Inquéritos (INQs) 4327 e 4483 para que seja processada em primeira instância denúncia sobre a suposta atuação de empresários e políticos em crimes de organização criminosa e obstrução à investigação de organização criminosa. A decisão autoriza o prosseguimento do feito contra os demais denunciados depois que a Câmara dos Deputados negou autorização para a instauração de processo penal contra o presidente da República e ministros de Estado.

Com a decisão, parte do processo terá seguimento na 13ª Vara Federal de Curitiba e parte na Justiça Federal do Distrito Federal. Entre os denunciados estão Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima, Henrique Alves, Lúcio Funaro, Roberto Rocha Loures, Joesley Batista e Ricardo Saud. O desmembramento dos inquéritos acolhe proposta formulada pela Procuradoria-Geral da República.

No STF, deverão permanecer nos inquéritos 4327 e 4483 apenas os nomes do presidente da República, Michel Temer, e dos ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco. Os processos, porém, deverão permanecer suspensos enquanto durar o mandato presidencial e as investiduras nos respectivos cargos, uma vez que a Câmara dos Deputados, no exercício da competência prevista no artigo 51, inciso I, da Constituição Federal, negou autorização para abertura de ação penal.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal