Filho de Argello indica Vital do Rêgo como testemunha na Lava Jato

Roger Pereira


O ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rego, foi indicado como testemunha de defesa de Jorge Afonso Argello Júnior, filho do ex-senador Gim Argello, ambos investigados pela 28ª fase da operação Lava Jato. Ao todo, Argello Junior listou em defesa prévia apresentada à Justiça Federal do Paraná o nome de 18 pessoas.
Ainda aparecem na lista sete deputados federais e oito senadores, inclusive o senador pelo Paraná, Álvaro Dias. Os advogados que assinam o documento, não deram detalhes do motivo pelo qual chamaram como testemunha de defesa essas autoridades. Como em outras ocasiões, o Juiz Sérgio Moro pode solicitar que a defesa dê explicações do porquê indicou estas pessoas para prestarem depoimento no processo. Ainda de acordo com a peça, a defesa do empresário pede que Jorge Afonso Argello Júnior seja absolvido de todas as acusações das quais responde na ação penal.
O filho do ex-senador Gim Argello é um dos réus no processo referente à 28ª fase da Lava Jato, chamada de Vitória de Pirro. Todos os envolvidos respondem pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e obstrução a investigação. Jorge Afonso Argello Junior não chegou a ser preso durante a operação. Ele foi alvo de mandado de condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a prestar depoimento). Já o ex-senador Gim Argello está preso desde 12 de abril.
Ele foi investigado pela suspeita de ter recebido R$ 5,35 milhões (cinco milhões, trezentos e cinquenta mil reais) para não convocar executivos de empreiteiras a prestar depoimento na CPI Mista da Petrobras. O esquema teria funcionado entre abril e dezembro de 2014. Pelo menos quatro empreiteiras pagaram propina para não serem convocadas a depor na CPI: UTC Engenharia, OAS, Toyo Setal e Odebrecht.
De acordo com o MPF, outras três também foram assediadas pelo político, mas não pagaram a propina exigida. A maior parte dos recursos (R$ 5 milhões) teria sido paga pela UTC Engenharia e o restante, no valor de R$ 350 mil, foi feito pela construtora OAS na conta da paróquia São Pedro. A igreja fica em Taguatinga, no Distrito Federal, e era frequentada pelo ex-senador.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal