João Santana, Mônica Moura e mais seis são indiciados pela PF

Jordana Martinez


A Polícia Federal indiciou o marqueteiro João Santana, a esposa dele, Monica Moura, e mais seis pessoas investigadas na 23.ª fase da Lava Jato, chamada de Acarajé. O indiciamento está no relatório parcial apresentado no processo que tramita na Justiça Federal em Curitiba.

Para a Polícia Federal, há indícios de que o casal Santana e Monica tenha cometido crimes relacionados à ocultação de depósitos no exterior, lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa. Eles são suspeitos de ter recebido entre 2012 e 2013 um total de US$ 3 milhões de offshores ligadas à Odebrecht e, entre 2013 e 2014, US$ 4,5 milhões por meio de empresas do engenheiro e operador financeiro Zwi Skornicki, também indiciado pela Polícia Federal.

Os delegados que assinam o relatório afirmam que Monica Moura seria responsável pelo encaminhamento da cópia de um modelo de contrato para Zwi Skornick e seu filho Bruno Skornick. Por meio desse instrumento seria feita a transferência de recursos.

Monica e João Santana estão presos em Curitiba desde 23 de fevereiro, quando chegaram de uma viagem à República Dominicana. Os dois tiveram inicialmente prisão temporária decretada, que foi convertida em preventiva, válida por tempo indeterminada.

Com base no inquérito da Polícia Federal e também de investigações próprias, caberá agora ao Ministério Público Federal decidir se oferece denúncia contra os investigados. Apresentada a denúncia, o juiz Sérgio Moro é quem decidirá se os acusados se tornam réus em uma ação penal.

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.