José Dirceu é alvo de protestos ao chegar em seu apartamento

Mariana Ohde


Após ser libertado nessa quarta-feira (3) do Complexo Médico-Penal em Pinhais, o ex-ministro José Dirceu chegou em seu apartamento em Brasília nesta noite de quinta-feira (4) e foi cercado por manifestantes favoráveis à Operação Lava Jato e contrários à libertação do ex-ministro.

Cerca de 150 pessoas, entre moradores do bairro Sudoeste e integrantes do movimento Nas Ruas, aguardavam a chegada de Dirceu, que veio de carro de Curitiba até a capital federal, parando em São Paulo.

Quando o carro em que estava o ex-ministro chegou à quadra, os manifestantes reconheceram Dirceu e conseguiram entrar na garagem do prédio e, juntamente com a imprensa, acompanharam o trajeto do veículo, que ficou dando voltas tentando despistá-los.

A Polícia Militar, que já estava no local, buscou um acordo com as pessoas que estavam na garagem para que Dirceu pudesse caminhar até o elevador e foi feita uma tentativa de isolamento.

Com a confusão, a polícia usou sprays de pimenta contra os manifestantes. Um cinegrafista foi atingido diretamente por um jato disparado por um policial. O próprio ex-ministro, quando desceu do carro, teve que esfregar os olhos para aliviar os efeitos do spray.

Gritos de “Ladrão”, “Vai voltar para a cadeia” e “Ele não tem que estar solto” eram desferidos pelos responsáveis durante o protesto, que também portavam faixas de apoio ao juiz federal Sérgio Moro e de apoio à Operação Lava Jato. Do lado de fora do prédio, manifestantes carregavam um boneco inflável com a imagem do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com a determinação de usar tornozeleira eletrônica, Dirceu foi solto pelo magistrado um dia após a decisão da segunda turma do STF que, por maioria, entendeu que havia excesso de prazo na sua prisão preventiva. O juiz federal Sérgio Moro determinou que o ex-ministro deve utilizar o equipamento para cumprir as medidas cautelares impostas pelo juízo. “Embora tais medidas não previnam totalmente eventual fuga, pelo menos a dificultam”, alegou Moro.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="429116" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]