Operação Lava Jato
Compartilhar

Justiça mineira autoriza depoimento de Marcos Valério a Sérgio Moro

A Justiça de Minas Gerais atendeu a um pedido feito pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato, e autor..

Narley Resende - 20 de agosto de 2016, 10:08

A Justiça de Minas Gerais atendeu a um pedido feito pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato, e autorizou a vinda do publicitário Marcos Valério para depor pela primeira vez em Curitiba.

Ele é réu em um processo da 27ª fase da Operação Lava Jato e condenado pelo Mensalão do PT. Atualmente cumpre pena de 37 anos em regime fechado na Penitenciária Nelson Hungria, na cidade mineira de Contagem.

ANÚNCIO

O juiz Wagner de Oliveira Cavalieri, responsável pela comarca, autorizou o preso a participar de audiência, marcada para o dia 12 de setembro na 13ª Vara Federal, aqui em Curitiba. Marcos Valério deve ser conduzido à capital paranaense com escolta local, a cargo da Polícia Federal.

A 27ª fase da Lava Jato, na qual surgiu o nome de Valério, investigava os beneficiários do empréstimo de R$ 12 milhões feito pelo pecuarista José Carlos Bumlai – também réu da operação – junto ao Banco Schahin.

E ainda sobre Lava Jato, a Polícia Federal concluiu relatório da 22ª fase, batizada de Operação Triplo X, que investigava a relação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o triplex do Guarujá, no litoral de São Paulo, que teria sido adquirido com dinheiro de propina.

O relatório final da PF foi tornado público na tarde desta quinta-feira (18).

Conforme o documento, no total, foram indiciadas sete pessoas: a publicitária Nelci Warken, que admitiu ser a verdadeira dona do apartamento no Condomínio Solaris além de funcionários da Mossack Fonseca no Brasil. A empresa é investigada pela abertura de offshores no exterior, usadas para lavagem de dinheiro.

O ex-presidente Lula não foi indiciado, nem familiares do petista.

ANÚNCIO

Repórter Cristina Seciuk