Léo Pinheiro se arrepende de silêncio e pede novo depoimento

Francielly Azevedo


O juiz federal Sérgio Moro atendeu pedido do ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, Léo Pinheiro e ex-diretor-presidente da área internacional da construtora, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, e determinou novo interrogatório para ouvi-los em ação penal em que os executivos da OAS são réus por corrupção ativa e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato.

O processo estava em fase de alegações finais, com prazo até sexta-feira para que as defesas apresentassem suas teses por escrito ao juiz, mas os advogados requereram novo interrogatório informando a intenção de ambos em colaborar com a Justiça independentemente da formalização de acordo de delação premiada.

Quando chamados a depor em seus interrogatórios, ambos os acusados optaram por exercer o direito ao silêncio e, agora, dizem-se arrependidos da estratégia de defesa adotada e dispostos a prestar informações relevantes. “Diante do pedido, justifica-se a realização do ato. Afinal, se acusado no processo penal deseja ser submetido a novo interrogatório e aponta motivo relevante, não há como o juiz indeferir tal requerimento sob pena de vulnerar a ampla defesa”, despachou o magistrado.

Os novos depoimentos foram marcados para o dia 21 de junho, às 14 horas.

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="428806" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]