Lula depõe na Justiça Federal

Mariana Ohde


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presta depoimento nesta terça-feira (14) em investigação relativa à suspeita de que ele teria tentado obstruir a Operação Lava Jato. O depoimento será prestado ao juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília.

A defesa do ex-presidente confirmou sua presença na Justiça Federal, em Brasília, às 10h desta terça-feira. Lula solicitou que o depoimento fosse prestado por meio de videoconferência, a partir de São Bernardo do Campo, onde mora, mas teve o pedido negado pelo juiz.

A ação penal foi aberta em julho de 2016. Lula está entre os sete réus suspeitos de tentar fazer com que Nestor Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras, não fechasse um acordo de delação premiada no âmbito da operação. Estão envolvidos, além de Lula, o senador cassado Delcídio do Amaral, Diogo Ferreira, o sócio do BTG Pactual André Esteves, o advogado Edson Ribeiro, José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai. Os depoimentos dos demais acontecem na sexta-feira (17).

O depoimento de hoje deveria ter acontecido em fevereiro, porém, devido à morte da mulher de Lula, Marisa Letícia, foi adiado a pedido da defesa do ex-presidente.

Investigação

A investigação partiu de uma gravação feita pelo filho de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, em que Delcídio do Amaral prometia à sua família que conversaria com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para ajudar o ex-diretor. Ele chegou a sugerir a fuga do país e uma ajuda financeira de R$ 50 mil para a família, além de R$ 4 milhões para o advogado Edson Ribeiro, defesa de Cerveró na época. Em troca, Cerveró não poderia citar Lula, Bumlai e Maurício Bumlai. Cerveró estava preso na época e Delcídio era líder do governo no Senado. O senador cassado foi preso pela Polícia Federal (PF) após o ocorrido.

Na acusação, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que Lula controlava o esquema de corrupção na Petrobras e que tentava obstruir a Operação Lava Jato. A denúncia acusa os réus de embaraço à investigação de organização criminosa, patrocínio infiel e exploração de prestígio.

Em julho do ano passado, a defesa de Lula alegou que o ex-presidente nunca interferiu ou tentou interferir em depoimentos relativos à Lava Jato. Todos os outros réus também negam as acusações.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="419067" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]