Moro acata denúncia contra ex-prefeito de Campinas, Delúbio e mais quatro

Andreza Rossini


O juiz federal Sérgio Moro, responsável palas ações em primeira instância da Operação Lava Jato, acatou nesta sexta-feira (21) a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-prefeito de Campinas (SP) Helio de Oliveira Santos (PDT), conhecido como Dr. Hélio, o ex-tesoureiro do PT, Delúblio Soares e mais quatro,  por lavagem de dinheiro.

Hélio teria se beneficiado de aproximadamente R$ 4,2 milhões que foram obtidos  do valor do empréstimo fraudulento feito pelo pecuarista José Carlos Bumlai junto ao banco Schahin. De acordo com o MPF, o dinheiro teria sido usado para campanhas publicitárias na campanha de Hélio em 2004.

Bumlai retirou R$ 12 milhões junto ao banco, mas nunca pagou a dívida, na ocasião o pecuarista e o banco foram denunciados por gestão fraudulenta. No presente caso, o Bumlai não foi denunciado, já que tem mais de 70 anos e o crime prescreveu.

No despacho, Moro determinou que o processo deve seguir sem sigilo.

 

Empréstimo de Bumlai

Bumlai é acusado de realizar um empréstimo fraudulento de R$ 12 milhões, junto ao Banco Schahin, para repassar o dinheiro ao PT. Bumlai é amigo do ex-presidente Lula e tinha acesso livre ao Palácio do Planalto durante a gestão do petista – por isso a 21ª fase da operação foi nomeada Passe Livre.

Outra parte do empréstimo teria sido repassada para o empresário Ronan Maria Pinto, dono do jornal Diário do Grande ABC. Ele teria chantageado a cúpula petista e recebido o dinheiro para comprar parte das ações no jornal.

Bumlai foi condenado a cerca de nove anos de prisão em setembro pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele foi preso em novembro de 2015, na 21ª fase da Operação Lava Jato, a Passe Livre.

Previous ArticleNext Article