Gim Argello e mais oito investigados viram réus na Lava Jato

Andreza Rossini


O ex-senador Gim Argello (PTB-DF) e mais oito pessoas passam a ser réus em mais uma ação penal da Lava Jato, acolhida nesta terça-feira, (10) pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações em primeira instância da operação. Ele aceitou parcialmente a denúncia apresentada na semana passada pelo Ministério Público Federal (MPF). Além do ex-senador, estão na lista de acusados o dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, o ex-presidente da OAS, José Adelmário Pinheiro Filho, ex-executivos das duas empreiteiras, assessores parlamentares de Argello e o filho do ex-senador, Jorge Afonso Argello Júnior.

Por falta de provas, o juiz rejeitou a denúncia contra Cláudio Melo Filho e o empresário Marcelo Bahia Odebrecht. Moro ainda concordou com o arquivamento da denúncia, sugerida pelo Ministério Público, contra Marcos Paulo Ramalho e Gustavo Nunes da Silva Rocha.

Gim Argello está preso desde 12 de abril, quando foi deflagrada a 28.ª fase da Lava Jato, chamada de Vitória de Pirro. Ele foi investigado pela suspeita de ter recebido R$ 5,35 milhões para não convocar executivos de empreiteiras a prestar depoimento na CPI Mista da Petrobras. A maior parte dos recursos (R$ 5 milhões) teria sido paga pela UTC Engenharia e o restante (R$ 350 mil), pela OAS.

Veja o documento na íntegra: Denúncia recebida

Com informações da BandNews Curitiba

Previous ArticleNext Article