Moro aceita denúncia contra alvos da 51ª fase da Lava Jato

Roger Pereira

O juiz federal Sérgio Moro recebeu, nesta quinta-feira, denúncia do Ministério Público Federal, tornando réus nove pessoas, entre ex-executivos da Odebrecht e ex-funcionários da Petrobras, envolvidas na 51ª fase da Operação Lava Jato, batisada de “Dejà vu”. Segundo a denúncia da Força Tarefa da Operação no Paraná, R$ 200 milhões em propinas teriam sido pagas pela Odebrecht para direcionar para a empreitera o contrato PAC-SMS de 2010, para prestação de serviços de segurança, meio ambiente e saúde em nove países, além do Brasil. O valor do contrato foi de mais R$ 2,7 bilhões.

Segundo a denúncia, a propina foi paga a executivos da estatal e agentes que se apresentavam como intermediários do MDB. O contrato investigado na nova fase é o mesmo que a Odebrecht disse ter negociado com o presidente Michel Temer (MDB) em 2010 em troca de propina. Os pagamentos teriam sido realizados por meio do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht (conhecido como o setor de propinas), de operadores financeiros e de doleiros, especialistas em lavagem de dinheiro. Além do pagamento em espécie, foram utilizadas offshores para o recebimento dos valores.

Com a decisão desta quinta-feira, tornaram-se réus Aluisio Teles Ferreira Filho, Angelo Tadeu Lauria, Cesar Ramos Rocha, Márcio Faria da Silva, Mário Ildeu de Miranda, Olivio Rodrigues Júnior, Rodrigo Zambrotti Pinaud, Rogério Santos de Araújo, e Ulisses Sobral Calile. Na mesma decisão, Moro substitutiu a prisão preventiva de Pinaud por outras medidas cautelares, como a proibição de sair do país e o pagamento de R$ 2,7 milhões em fiança, por considerá-lo terceiro na linha de relevância entre os agentes da Petrobras envolvidos no esquema. O juiz manteve presos Aluisio Teles, Ulisses Calile e Angêlo Luaria.

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal
Comentários de Facebook