Moro nega pedido de Lula para cancelar perícia em sistema de propinas

Andreza Rossini

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações em primeira instância da Operação Lava Jato, negou, nesta quinta-feira (15) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender a perícia no sistema de propinas da Odebrecht.

O juiz afirmou que o pedido de suspensão “não faz o menor sentido”, os advogados alegam indícios de alteração no sistema. “Ora, essa é uma das questões que constituem o objeto da própria perícia em andamento, já que solicitado que fosse esclarecido quanto à autenticidade dos registros digitais e sua origem. Aliás, a perícia foi determinada exatamente em decorrência dos questionamentos pretéritos da Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva acerca da autenticidade dos documentos extraídos do sistema e juntado aos autos”, afirmou o juiz.

Além da suspensão, a defesa do ex-presidente pediu esclarecimentos de alguns pontos sobre o sistema da Odebrecht, conhecido como “My Web Day”.

argumentos lula


Moro autorizou a perícia da Polícia Federal no sistema em setembro de 2017. Nesta ação Lula é acusado de ter recebido propina da Odebrecht por meio da compra do terreno e do apartamento vizinho ao imóvel onde o ex-presidente mora em São Bernardo do Campo.

No laudo, os peritos precisam apresentar uma descrição geral do que se tratam e do funcionamento dos dois sistemas; devem verificar a “autenticidade” das plataformas; e extrair “documentos e lançamentos” relacionados ao imóvel da Rua Haberbeck Brandão, 178, em São Paulo, que teria sido comprado para depois ser repassado ao Instituto Lula.

Os sistemas têm 1,7 milhão de arquivos armazenados em 4 discos rígidos (HDs) de memória digital. O material foi entregue pela Odebrecht ao Ministério Público Federal em março do ano passado, como parte do acordo de leniência firmado pela empresa em dezembro de 2016.

 

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook