Moro nega pedido de remoção de Eduardo Cunha para presídio em Brasília

Fernando Garcel


O juiz federal Sérgio Moro negou o pedido de transferência definitiva do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para um presídio no Distrito Federal, nesta quinta-feira (31). O pedido da defesa de Cunha foi encaminhado a Moro pelo juiz federal Vallisney de Souza, responsável pelos processos da Operação Sépsis, da 10ª Vara Federal de Brasília, em que o ex-deputado é réu.

Apesar de Moro não ter autorizado a transferência de Cunha em definitivo para a penitenciária de Brasília, o magistrado autorizou que o réu preste depoimento presencialmente no dia 22 de setembro. “Observo que, caso necessária a presença do condenado em outras audiências na referida ação penal, a transferência poderia ser realizada por período mais de longo de tempo, bastando o encaminhamento de solicitação com a determinação do período”, diz Moro.

“Não cabe, porém, a transferência definitiva para o sistema prisional do Distrito Federal, pois inexiste causa para tanto, observando que a família do condenado sequer reside naquela localidade”, despachou Moro.

Justiça decide manter processo de Cunha em Curitiba
Cunha ‘apela ao Papa’ em carta na prisão

Cunha condenado

Eduardo Cunha está preso no Complexo-Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele foi preso em outubro de 2016 e condenado a 15 anos e 4 meses no âmbito da Operação Lava Jato por crimes de corrupção passiva, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="452065" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]