Moro ouve últimas testemunhas de defesa de Antonio Palocci nesta semana

Fernando Garcel


Com BandNews FM Curitiba

A Justiça Federal do Paraná ouve, nesta semana, as quatro últimas testemunhas de defesa do ex-ministro Antonio Palocci. O petista é o principal alvo da 35ª fase da Lava Jato, batizada de Operação Omertà.

Em depoimento, ex-diretor da Odebrecht afirma que “italiano” é Antônio Palocci
Ex-presidente da Petrobras afirma que nunca tratou de propinas com Palocci

Na quarta-feira (dia 29), estão previstos os depoimentos com os deputados Arlindo Chinaglia e Paulo Pimenta, com o senador Lindbergh Farias, e com o empresário Jorge Gerdau. Na sexta-feira (31), o juiz Sérgio Moro dá início aos interrogatórios com todos os 15 réus do processo.

No final da semana estão entre os que participam de audiências o ex-gerente da Petrobras Eduardo Musa e o executivo ligado à Odebrecht Fernando Migliaccio da Silva. No dia 10 de abril, é a vez do herdeiro da empreiteira Odebrecht, Marcelo Odebrecht, ser interrogado pelo juiz Sérgio Moro. No dia 18 são ouvidos o casal de publicitário João Santana e Mônica Moura. O ex-ministro Antônio Palocci e o ex-assessor dele Branislav Kontic são os últimos réus interrogados. As audiências deles estão marcadas para o dia 19 de abril.

Denúncia

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o ex-ministro Palocci estabeleceu uma ligação com altos executivos da Odebrecht com o objetivo de atender aos interesses do grupo diante do governo federal. Isso aconteceu entre 2006 e 2015. Nesse esquema, a interferência de Palocci teria se dado mediante o pagamento de R$ 128 milhões em propinas. Os recursos eram destinados principalmente ao Partido dos Trabalhadores (PT). A ação penal decorrente da Operação Omertà tem 15 réus, entre eles Palocci e o herdeiro do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht.

Previous ArticleNext Article