Odebrecht desiste de pedido de liberdade para negociar delação

Mariana Ohde


O empresário Marcelo Odebrecht, preso há um ano na Operação Lava Jato, desistiu de um pedido de liberdade que havia sido apresentado por seu advogado no dia 5 de julho. Segundo informações da Folha de S. Paulo, procuradores da operação ofereceram duas alternativas ao empresário: ou ele retirava o pedido ou não haveria mais acordo de delação premiada – acordo que vem sendo negociado desde março, quando Odebrecht foi condenado a 19 anos de prisão.

A desistência aconteceu na última quarta-feira (13). O Ministério Público ainda não havia avaliado o pedido de liberdade. Antes, o advogado do executivo, Nabor Bulhões, encaminhou ao juiz Sergio Moro uma solicitação para desistir da liberdade “por motivo que se encontra em sigilo judicial”.

Segundo o jornal, as negociações do acordo de delação estariam em sigilo, mas há outro motivo para a desistência: os procuradores da Lava Jato em Curitiba consideraram que a solicitação de liberdade ia contra o clima colaborativo das negociações.

O acordo de delação da Odebrecht pode ser o mais importante da Operação Lava Jato, uma vez que o empresário pode envolver políticos de destaque.

Pedidos

Marcelo Odebrecht foi condenado em março a 19 anos na primeira ação penal em que foi investigado na Lava Jato e ainda responde em mais duas ações. Ele foi preso em junho de 2015. Este último pedido de liberdade foi o sexto. O advogado alegou que as provas que incriminam o empresário já estão com a Polícia Federal (PF) e com os procuradores, por isso, não haveria risco de Odebrecht destruir provas ou interferir no processo – suspeitas que motivaram a prisão. Como o empresário recorre da sentença, a defesa também argumenta que ele poderia fazer isso em liberdade.

 

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal