Operação Lava Jato chega às pistas da Stock Car

Redação


A Operação Lava Jato chegou às pistas da Stock Car. Segundo testemunho de delatores, a principal categoria do automobilismo foi usada para lavar dinheiro de propinas originadas na Petrobras. Segundo as delações, o empresário Adir Assad, já condenado e alvo de outras operações, seria, segundo informações da Folha de São Paulo, o coordenador, por meio de uma empresa de marketing, desse processo.

Além da empresa de comunicação, Assad também tinha investimentos em uma escuderia da divisão inferior da categoria. Conforme trecho da delação de Ricardo Pessoa, dono da UTC, a Rock Star, de Assad, superfaturava os contratos de patrocínio.

Uma das provas apresentadas contra a Assad indica um contrato de R$ 820 mil de patrocínio para Murillo Macedo Filho, da Stock Car Light.

Em outro momento, o Grupo Schahin repassou R$ 3,5 milhões para a J. Star Racing, também sob o guarda-chuva de Assad.

A UTC também repassou, em 2012, mais R$ 4 milhões para a escuderia do piloto Allam Khodair. O novo caminho dos recursos desviados por meio de propinas pode dar novo rumo às investigações.

As assessorias dos pilotos não foram encontradas para comentar o caso.

Previous ArticleNext Article