Patrimônio de Cláudia Cruz cresceu 150% em seis anos

Redação


Thaissa Martiniuk, da BandNews FM Curitiba

Dados da Receita Federal apontam que o patrimônio da jornalista Claudia Cruz, mulher do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), cresceu mais de 150% em seis anos. Entre os anos de 2008 e 2014, o patrimônio saltou de R$ 1,6 milhão para cerca de R$ 4 milhões.

Em junho, Cláudia Cruz foi incluída na lista de réus da operação Lava Jato. A denúncia, oferecida pelo Ministério Público Federal, foi acolhida pelo juiz Sérgio Moro e ela passou a ser acusada de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

De acordo com as investigações, Claudia Cruz era a única beneficiária de uma conta em nome de uma offshore na Suíça, onde mantinha valores de origem ilícita, desviados principalmente do setor internacional da Petrobras.

> STF nega recurso para retirar de Moro processo contra mulher e filha de Cunha
> Justiça Federal bloqueia bens de Eduardo Cunha e Cláudia Cruz
> Cunha recorre contra bloqueio de bens determinado pela Justiça Federal do Paraná

A Receita Federal demonstrou no relatório que no ano de 2008 os maiores gastos com patrimônios declarados foram com a aquisição de dois veículos: um Porsche no valor de R$ 310 mil e um Passat de R$ 77 mil, que foram pagos à vista. Como forma de justificar o gasto, a jornalista declarou ao Fisco que o valor era referente a um empréstimo.

Dois anos depois, em 2010, outra movimentação chama atenção. Neste ano, Claudia Cruz movimentou R$ 2,5 milhões de uma conta bancária. Na declaração de imposto de renda a jornalista informou que o montante era referente a uma ação trabalhista.

Para a força-tarefa da Lava Jato a jornalista Claudia Cruz tinha claro conhecimento dos crimes que praticava e utilizava parte da propina para comprar artigos de luxo. Os gastos, segundo o Ministério Público Federal, eram incompatíveis com o salário que ela e o marido recebiam.

Previous ArticleNext Article